Acesso ao principal conteúdo
Mali

Mali: eleição presidencial marcada por incidentes

Assembleia de voto em Bamako 29/07/2018
Assembleia de voto em Bamako 29/07/2018 REUTERS/Luc Gnago
6 min

Urnas incendidadas e tiros de obus no norte e centro do Mali, marcaram a eleição presidencial de ontem disputada por 24 candidatos, sendo os favoritos o Presidente cessante Ibrahim Boubakar Keita e o líder da oposição Soumaïla Cissé.

Publicidade

Os primeiros resultados da eleição presidencial de ontem (29/07) deverão ser divulgados nas próximas 48 horas e os oficiais serão anunciados o mais tardar na próxima sexta-feira (3/08).

Apesar dos 24 candidatos em liça, entre os quais uma única mulher, o duelo para a provável segunda volta a 12 de Agosto deve travar-se entre o Presidente cessante Ibrahim Boubacar Keita com 73 anos de idade e Soumaïla Cissé de 68 anos, líder do principal partido de oposição União para a República e Democracia, cenário idêntico ao da eleição presidencial de 2013, que atribuiu a vitória a IBK com mais de 70% de votos.

Mali: incidentes marcam eleição presidencial

Registaram-se alguns incidentes sobretudo em Tombouctou, Gao, Mopti e Segu no norte e centro do país, onde assembleias de voto foram incendiadas, bombas explodiram e eclodiram tiros de obus, acções até ao momento não reivindicadas e que não provocaram vítimas mortais.

Seja qual for o vencedor todos os candidatos prometeram pôr termo ao terrorismo e à insegurança que são a rotina no Mali, desde o golpe de Estado de 2012, apesar de 5 anos de intervenções militares internacionais com destaque para a operação militar francesa Barkhane e a força da ONU Minusma, bem como aplicar o Acordo de Paz e Reconciliação de 2015, assinado em Argel entre o governo e os grupos rebeldes do norte do país, dominados pelos tuaregues, uma das mais de vinte etnias que constituem o povo do Mali.

Na sexta-feira passada ((27/07) último dia de campanha, o tuaregue maliano Iyad Ag Ghaly, líder do Grupo de Apoio ao Islão e aos Muçulmanos, a principal aliança jihadista do Sahel, afiliada à Al Qaeda, afirmou num vídeo divulgado nas redes sociais que seja quem for o vencedor será uma "mera marionette nas mãos da França e dos seus aliados".

A luta contra a pobreza é outro grande desafio, sendo que no índice de desenvolvimento humano estabelecido pela ONU em 2017 o Mali figura na 175 posição num total de 188 países analisados e apesar da imensa riqueza cultural do país, menos de um terço dos malianos com mais de 15 anos é alfabetisado.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.