Colômbia/Farc

Dez últimos reféns policiais e militares das Farc são libertados

Helicóptero da FAB voa para recuperar reféns na selva colombiana.
Helicóptero da FAB voa para recuperar reféns na selva colombiana. Reuters

As Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) libertaram nesta segunda feira, na selva colombiana, os últimos dez policiais e militares que eram mantidos como reféns. A notícia foi divulgada em um comunicado do Comitê Internacional da Cruz Vermelha. A operação mediada por uma missão humanitária foi considerada um sucesso.

Publicidade

Os seis policiais e quatro militares foram libertados em uma zona rural na fronteira dos departamentos de Meta e Guaviare. Em seguida, foram entregues à missão humanitária formada  por membros do CICV e do CCP -Colombianas e Colombianos pela Paz - do qual faz parte a ex-senadora Piedad Córdoba, mediadora da libertação de 20 reféns em 2008, entre eles, a candidata presidencial na época, a franco-colombiana Ingrid Betancourt.

"Expressamos nossa grande alegria pelo êxito da operação que permitiu, em um só dia, a reunião de dez famílias que esperavam isso há tantos anos", declarou o  chefe da delegação do CICV na Colômbia, Jordi Raich, observando que a agonia dos parentes terminou.

Neste momento, os reféns seguem em um dos helicópteros cedidos pelo Brasil rumo a Villavicencio. De lá,  embarcarão em um avião do governo para Bogotá para, finalmente, encontrar suas famílias.

Os reféns libertados são os sargentos do Exército Luis Alfredo Moreno Chagueza e Robinson Salcedo Guarín, os militares Luis Arturo Arcia e Luis Alfonso Beltrán Franco, o primeiro sargento de polícia José Libardo Forero, o sargento-mor de polícia, César Augusto Lasso Monsalve e os suboficiais de polícia Carlos José Duarte, Wilson Rojas Medina, Jorge Humberto Romero e Jorge Trujillo Solarte.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI