Estados Unidos

Rodney King, pivô de revolta contra polícia de Los Angeles, é encontrado morto

Rodney King fotografado no dia 21 de abril de 2012 , na Universidade do Sul da Califórnia, durante um debate sobre a revolta de 1992.
Rodney King fotografado no dia 21 de abril de 2012 , na Universidade do Sul da Califórnia, durante um debate sobre a revolta de 1992. REUTERS/Danny Moloshok

O americano Rodney King, de 47 anos, cujo espancamento pela polícia de Los Angeles deu origem a violentos distúrbios na cidade em 1992, foi encontrado morto em sua piscina na manhã deste domingo. O capitão de polícia de Rialto, Randy Deanda, disse que King foi encontrado "inconsciente" no fundo de sua piscina e declarado morto pouco tempo depois em um hospital local.

Publicidade

King tornou-se símbolo das tensões raciais nos Estados Unidos após a divulgação do filme em que ele aparecia sendo espancado pela polícia de Los Angeles. Os policiais envolvidos no incidente foram absolvidos em abril de 1992, o que causou uma onda de revolta que deixou mais de 50 mortos na cidade.

Pouco antes do aniversário de 20 anos dos incidentes, King disse que o racismo ainda precisava ser vencido no país. "Sempre haverá algum tipo de racismo. Mas cabe a nós como indivíduos olhar para trás e ver todas as conquistas feitas até agora", declarou King à CNN.

Questionado sobre o que sentia em relação aos policiais que o espancaram, ele afirmou: "eu os perdoei, porque a América me perdoou tantas vezes e me deu tantas chances".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI