Acesso ao principal conteúdo
Colômbia/FARCs

FARCs retomam negociações com governo colombiano

O negociador das Farc, Pablo Catatumbo, durante coletiva de imprensa em Havana, em foto do dia 10 de agosto de 2013.
O negociador das Farc, Pablo Catatumbo, durante coletiva de imprensa em Havana, em foto do dia 10 de agosto de 2013. REUTERS/Enrique de la Osa
Texto por: RFI
2 min

O governo colombiano e os representantes das FARC, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, retomaram as negociações nesta segunda-feira em Havana. Os guerrilheiros impuseram uma pausa na sexta-feira para denunciar o projeto do governo de submeter o acordo de paz ao referendo popular.

Publicidade

"Um acordo de paz não é um assunto que se decide de maneira unilateral, por um mecanismo de ratificação", declarou o chefe da delegação das FARC, Ivan Marquez, quando chegou ao local onde as discussões acontecem desde novembro. Como de costume, a delegação do governo não fez declarações à imprensa.

"O mecanismo de ratificação de um eventual acordo de paz não é um elemento que pode ser definido unicamente pelo governo", insistiu. "O que a Colômbia precisa é de Justiça Social", reiterou, dizendo que a iniciativa do governo era uma violação do acordo geral concluído em Havana.

As FARCs propõem há várias semanas a criação de uma assembleia constituinte para ratificar o acordo e definir a maneira como ele se enquadraria na Constituição.

Depois de chegarem a um consenso sobre o desenvolvimento rural, o primeiro dos cinco pontos que serão discutidos nas reuniões, o governo e a guerrilha agora debatem a participação dos guerrilheiros na vida política.

A luta contra o tráfico de drogas, o abandono das armas e a indenização das vítimas desse conflito de meio século são outros três pontos que devem ser abordados durante as discussões. O objetivo do presidente colombiano Juan Manuel Santos é finalizar as negociações até o fim do ano.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.