Estados Unidos/Frio

Temperaturas negativas batem recordes nos EUA

Onda de frio intensofaz com que as temperaturas cheguem a  -26 °C nas cidades de Indianápolis e Chicago, no meio oeste americano.
Onda de frio intensofaz com que as temperaturas cheguem a -26 °C nas cidades de Indianápolis e Chicago, no meio oeste americano. REUTERS/Brent Smith

O frio continua sendo a principal manchete dos noticiários americanos nesta quarta-feira, 8 de janeiro de 2014. Os moradores dos maiores centros da costa leste dos Estados Unidos, como Washington, Nova York e Boston, e do meio oeste, como Chicago e Indianápolis, foram alertados de que terão de aguentar temperaturas congelantes pelo menos até esta quinta-feira.

Publicidade

Ligia Houghland, correspondente da RFI em Washington

Muitas escolas da região metropolitana de Washington, que tiveram suas aulas canceladas no início da semana, abrirão com algumas horas de atraso nesta quarta-feira por causa da pior onda de frio dos últimos 20 anos. 

O comércio está aberto mas faltam clientes: poucas pessoas se arriscam a enfrentar o frio sem necessidade. Os funcionários públicos estão sendo encorajados a trabalhar de casa, se possível.

Muitos veículos se encontram parados nas ruas, pois suas baterias não resistem ao frio extremo. Já os pedestres encontram dificuldades para caminhar nas ruas devido aos alagamentos causados por canos congelados que estouraram.

O frio é tão intenso que até os ursos polares do zoológico de Chicago foram abrigados. Nova York registrou na terça-feira as temperaturas mais baixas dos últimos cem anos em um 7 de janeiro: - 15,5 °C. Ao todo, 49 cidades americanas do centro e nordeste do país bateram seu recorde de frio ontem.

Essa onda de frio fora do comum também produziu um fato curioso. Um prisioneiro de 42 anos do estado de Kentucky, que fugiu da prisão no domingo, se refugiu num hotel e pediu para os funcionários ligarem para a polícia. Ele decidiu se entregar, com medo de morrer congelado. 

Além de ter perturbado o cotidiano de cerca de 140 milhões de americanos, o frio polar ainda está provocando cancelamentos e atrasos no tráfego aéreo e ferroviário - mais de 18 mil voos foram cancelados desde quinta-feira -, superlotação em abrigos para moradores de rua e aumento no uso e no custo de energia. Ao menos 15 pessoas morreram em decorrência do frio extremo nos Estados Unidos desde o início deste ano.

O frio recorde também serviu para dar munição aos grupos que não acreditam no aquecimento global. Mas os especialistas dizem que as baixas temperaturas registradas nesta semana no contradizem o fato de que a temperatura média do planeta está aumentando. 

Até o final da semana, aliás, a temperatura devem voltar ao norma e até mesmo subir acima da média nas regiões afetadas por essa onda de frio polar, chegando a 15 °C.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI