Estados Unidos/Tiroteio

Polícia procura atirador branco que matou 9 pessoas em igreja da comunidade negra de Charleston

Tiroteio em uma igreja frequentada pela comunidade negra de Charleston, na Carolina do Sul.
Tiroteio em uma igreja frequentada pela comunidade negra de Charleston, na Carolina do Sul. REUTERS/Randall Hill

Um homem branco matou nove pessoas na noite desta quarta-feira (17) em uma igreja frequentada pela comunidade negra de Charleston, na Carolina do Sul. O chefe da polícia local, Gregory Mullen, citou um "crime odioso", acrescentando que policiais estão à procura do agressor. Os pré-candidatos às presidenciais de 2016 lamentaram esse novo tiroteio.

Publicidade

O ataque ocorreu por volta das 21h pelo horário local (22h em Brasília) contra a Emanuel African Methodist Episcopal Church, uma das mais antigas igrejas da comunidade negra de Charleston. A polícia da cidade persegue um suspeito branco, com cerca de 20 anos, apontado como o autor dos disparos. O homem seria loiro, usava calça jeans e botas pesadas quando entrou na igreja, de acordo com o relato de testemunhas.

A pré-candidata democrata Hillary Clinton, que participou na quarta-feira de um ato eleitoral na cidade, escreveu no Twitter: "notícias terríveis de Charleston − meus pensamentos e minhas orações estão com vocês".

Jeb Bush, pré-candidato republicano à Casa Branca nas eleições de 2016, que deve participar de um comício em Charlotte, na Carolina do Norte, disse no Twitter que "nossos pensamentos e orações estão com os indivíduos e famílias afetadas pelos trágicos fatos de Charleston".

O chefe da polícia da cidade relatou que ao chegar ao local, policiais encontraram oito mortos dentro da igreja. "Duas pessoas feridas foram levadas (ao hospital) e uma faleceu. No momento, temos nove vítimas fatais deste crime odioso", disse Mullen.

Jovem algemado

A operação policial envolve um grande contingente, incluindo meios aéreos, e prosseguia quatro horas após o tiroteio. As TVs locais mostraram várias ambulâncias e um importante dispositivo policial em torno da igreja.

Os canais de televisão também mostraram um jovem que corresponde à descrição do suspeito sendo algemado e levado por dois policiais, mas as autoridades confirmaram que permanecem em busca do atirador. Segundo o canal local ABC4 News, a polícia investigou uma ameaça de bomba, que já foi descartada.

"Minha família e eu oramos pelas vítimas e os parentes afetados pela tragédia sem sentido desta noite" na igreja, disse a governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley. "Enquanto ainda ignoramos os detalhes, sabemos que jamais entenderemos o que motiva uma pessoa a entrar em um dos nossos locais de oração e tirar a vida de outros", lamentou a governadora.

(Com informações da AFP)

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI