ANGOLA

Angola: Luaty Beirão há 18 dias em greve de fome

Vigília em Luanda a 8 de Outubro em solidariedade para com Luaty Beirão e para exigir "Liberdade Já" para os presos políticos
Vigília em Luanda a 8 de Outubro em solidariedade para com Luaty Beirão e para exigir "Liberdade Já" para os presos políticos Central Angola

Vigília esta tarde em Luanda para exigir a libertação dos 15 activistas detidos desde 20 de Junho e em solidariedade para com um deles, Luaty Beirão em greve de fome há 18 dias e cujo "estado de saúde se agrava de hora para hora".

Publicidade

Luaty Beirão e outros oito activistas detidos desde 20 de Junho, iniciaram uma greve de fome a 21 de Setembro, para exigir a sua libertação provisória sob termo de identidade e residência ou multa, como estipulado pela lei e como o pede a defesa, dado que foi ultrapassado o prazo de prisão preventiva.

Esta quinta-feira (8/10) apenas Luaty mantém a greve de fome, mas o seu estado de saúde deteriora-se e apesar de ter sido hospitalizado no sábado, teve alta no próprio dia, sem ter sido submetido a qualquer exame médico.

Pedro Beirão (irmão de Luaty) afirma que ele "está enfraquecido, debilitado, tem tido algumas dificuldades em beber água...contudo continua lúcido e ainda consegue manter-se de pé,  não por muito tempo...sentimos que é quase de hora a hora que piora".

A vigília de hoje (8/10) convocada para as 18 horas no Largo 1° de Maio, onde se encontrava uma forte presença policial, foi deslocada para a Igreja da Sagrada Família e até esta hora (21h) não há incidentes.

Pedro Beirão considera que este "acto de solidariedade é bom e útil, dada a urgência, pois trata-se de um caso de vida ou de morte...Luaty tomou uma decisão consciente do que isso representa, mas também convicto de ser a única e mais forte forma de protesto no contexto em que ele está".

Pedro Beirão, irmão de Luaty Beirão

Sob o pesudónimo de Brigadeiro Mata-Frakuxz ou Iconoclasta, Luaty Beirão faz parte da primeira geração de "rappers" contestatários, foi um dos detidos a 7 de Março de 2011 na primeira tentativa de manifestação contra o Presidente José Eduardo dos Santos - abortada pela polícia.

Foi também, entre outros, preso em Portugal em Junho de 2012 e solto no dia seguinte, por lhe ter sido encontrada cocaína dentro da bicicleta, informação fornecida pela própria polícia angolana à sua congénere portuguesa, para tentar acusá-lo de traficante.

 A ONG Amnistia Internacional voltou ontem (7/10) a apelar à libertação de todos os presos de consciência em Angola, incluindo Luaty Beirão.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI