Angola

FAO está preocupada com a seca em Angola

Meninos brincando em terreno árido, em Angola
Meninos brincando em terreno árido, em Angola DR

A seca que assola o centro e o sul de Angola preocupa bastante a FAO -Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação - que está a apoiar o Executivo de Luanda para fazer face à situação.

Publicidade

Segundo a FAO, entre 2009 e 2012, o centro e sul de Angola registaram intensas chuvas torrenciais, que inundaram os campos agrícolas e debilitaram a produção de alimentos.

Porém, depois de 2012, o centro e sul de Angola foram afectados com a seca, onde 1,4 milhões de angolanos são vítimas das condições climáticas extremas, e mais de 800 mil reclamam ajuda de emergência devido à falta de alimentos. Cerca de 500 mil cabeças de gado morreram.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância -UNICEF - que apoia as crianças afectadas pela subnutrição,
estima que serão necessários cerca de 26 milhões de dólares para garantir o programa de ajuda.

Entretanto, o petróleo continua a ser notícia. As empresas de prestação de serviços ao Sector Petrolífero em
Angola vivem com grandes dificuldades devido à falta de divisas no país, e solicitaram ao Governo um regime cambial de excepção, nesta fase de crise financeira, para garantir a sua sustentabilidade.

Também pode ouvir aqui esta crónica de Avelino Miguel, correspondente da RFI em Luanda

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI