Angola

Um milhão de pessoas em insegurança alimentar no centro e sul de Angola

Habitantes do Cunene, no sul de Angola
Habitantes do Cunene, no sul de Angola

A Caritas teceu advertências sobre a situação de insegurança alimentar de que padecem cerca de um milhão de pessoas nas províncias do Cunene, Namibe, Cuando-Cubango e em certas zonas da Huíla, devido à seca persistente naquelas áreas do país.  

Publicidade

Este alerta surge algumas semanas depois do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento ter dado conta dos risco muito patente de meio milhão de pessoas ficarem sem comida num prazo que pouco mais de um mês. No seu relatório de finais do mês de Setembro, o PNUD dá conta de situações particularmente prementes em certas comunidades do Cunene e da Huíla, o que obriga os habitantes daquelas zonas a procurar pastos para o seu gado noutras localidades e leva igualmente ao abandono escolar.

Em entrevista à RFI, Eusébio Amarante, director-geral da Caritas em Angola refere que se trata de uma situação que tem vindo a estender-se no tempo.

Eusébio Amarante, director geral da Caritas em Angola

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI