Convidado

RDC: "líderes da oposição têm que se sentar" com o governo

Áudio 11:00
Presidente congolês Joseph Kabila
Presidente congolês Joseph Kabila © AFP PHOTO / CARL DE SOUZA

Luanda acolheu esta quarta-feira uma cimeira especial, na qual sob a égide da União Africana, Nações Unidas e Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos - CIRGL presidida por Angola - foram analisadas as crises nesta região do continente africano, com destaque para a da República Democrática do Congo.O acordo de paz para a RDC concluido a 18 de Outubro entre a maioria presidencial e uma ínfima parte da oposição congolesa, prevê eleições presidenciais em Abril de 2018 e até lá um governo de transição com um primeiro ministro oriundo da oposiçao.Os principais líderes da oposição Moise Katumbi e Etienne Tshisekedi não participaram no diálogo nacional e opoem-se a este acordo, que segundo eles visa permitir que o Presidente Joseph Kabila altere a Constituição e se candidate a um terceiro mandato, sendo que este termina 19 de Dezembro deste ano.O brigadeiro Manuel Correia de Barros, vice-presidente do conselho executivo do Centro de Estudos Estratégicos de Angola - CEEA - mostra-se céptico quanto à implementação deste acordo, sem a inclusão no diálogo dos principais líderes da oposição.