Angola/Cabinda

FLEC reivindica ataques em Cabinda, Luanda desconhece

Mapa do enclave de Cabinda, Angola
Mapa do enclave de Cabinda, Angola globalsecurity.org

A Frente de Libertação do Estado de Cabinda reivindicou esta quinta-feira a morte de seis operacionais do exército angolano em confrontos na povoação de Mbongozi-Muno, a 15 quilómetros de Buco-Zau, no enclave de Cabinda. António Luvualu de Carvalho, embaixador de itinerante de Angola, diz desconhecer este ataque.

Publicidade

O autodenominado Estado-Maior da FLEC-FAC sublinha que os confrontos aconteceram na segunda-feira, 5 de Dezembro de 2016. De acordo com o comandante Sem Medo, chefe operacional das Forças Armadas de Cabinda (FAC) seis operacionais das Forças Armadas de Angola morreram e três focaram gravemente feridos.

A FLEC/FAC afirma que o governo angolano deixou, com isto, " clara a sua intenção de prosseguir as operações militares" em Cabinda e de recusar negociações.

Comandante Sem Medo, chefe operacional das Forças Armadas de Cabinda

António Luvualu de Carvalho, embaixador de itinerante de Angola, esteve esta tarde esteve nos estúdios da RFI em Paris, questionado sobre este assunto disse não ter conhecimento do avançado pela FLEC.

António Luvualu de Carvalho, embaixador de itinerante de Angola

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI