Angola

Arraque do novo ano académico em Angola

Faculdade de direito da Universidade Agostinho Neto em Luanda
Faculdade de direito da Universidade Agostinho Neto em Luanda DR

Na cerimónia oficial, Manuel Vicente, exortou as instituições de ensino superior a promoverem a qualidade e valorização do corpo docente. Professores ameaçam com greves e pedem melhores condições de trabalho.

Publicidade

Na cerimónia oficial, que decorreu hoje no Caxito, província do Bengo, Manuel Vicente, vice-presidente do país, exortou as 65 instituições de ensino superior do país a promoverem a qualidade e valorização do corpo docente como objectivo para este novo ano.

Segundo Manuel Vicente as 24 universidades públicas e 41 privadas disponibilizaram este ano 111.086 vagas para o ensino superior. Em 2016, o ensino superior registou um aumento de 9,2% no número de estudantes em relação ao ano académico 2015. Com a frequência de 241.284 estudantes.

Em 2015, 14.735 concluíram com êxito a licenciatura, correspondendo a um aumento na ordem dos 18,9% relativamente a 2014.

Luanda prevê gastar 80.570 milhões de kwanzas (mais de 460 milhões de euros) com o ensino superior público em 2017, um aumento de quase 20% face a 2016.

O ano académico arranca com fantasmas de greve em pano de fundo. Há uma greve geral de professores prevista para o próximo dia 9 de Março. Os docentes reivindicam melhores salários, melhores condições de trabalho e mais investimento no sector.

Com a colaboração de Avelino Miguel, correspondente em Luanda.

Avelino Miguel, correspondente em Luanda

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI