Acesso ao principal conteúdo
ANGOLA

Angola: Lançamento do Movimento Handeka

Luaty Beirão, activista luso-angolano, é um dos integrantes do movimento cívico Handeka
Luaty Beirão, activista luso-angolano, é um dos integrantes do movimento cívico Handeka Cristiana Soares/RFI
Texto por: RFI
4 min

O Movimento cívico Handeka tem lançamento em Angola a cinco meses da data provável das eleições, agendadas para Agosto. Trata-se de um colectivo de personalidades incluindo o antigo primeiro-ministro Marcolino Moco ou o activista Luaty Beirão.

Publicidade

Marcolino Moco, ex primeiro-ministro e antigo secretário executivo da CPLP, Comunidade dos países de língua portuguesa, em entrevista à rfi, alega que este colectivo pretende "contribuir para a defesa dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos. Como diz a ciência política constituir-se num instrumento de pressão pacífica para combater a ineficácia da governação, o problema da corrupção e, sobretudo, os aspectos negativos que devido a esta desgovernação incidem sobre as populações".

Este antigo governante é uma das personalidades de um leque que incluem figuras como o advogado Luís Nascimento ou o músico luso-angolano Luaty Beirão.

Este último surge como coordenador do movimento, ele que por ser um dos 17 activistas críticos do regime de Luanda chegou a cumprir pena em Angola.

Marcolino Moco denuncia, neste contexto, ter estado a ser alvo de uma "campanha de intolerância no sentido de que mais velhos se possam juntar a arruaceiros: vão perder o prestígio !".

Este alega que não são demais as associações porque ainda há muito espaço para a criação de estruturas deste género "viradas para a intensificação da cultura jurídica positiva das populações o que reforça exactamente o processo de paz".

 Numa "carta à nação" o colectivo escreve ser "... urgente encontrar uma saída à altura dos desafios que Angola enfrenta. Acreditamos que é chegada a hora de promover a criação de uma plataforma social alargada, capaz de congregar os interesses de todas as franjas marginalizadas e excluídas do pleno exercício da cidadania".

Angola deve ir a eleições em Agosto: o MPLA, partido no poder, tem como cabeça de lista João Lourenço, ministro da defesa. Em caso de vitória ele sucederia, de forma inédita, a José Eduardo dos Santos, presidente desde 1979 que embora mantendo a presidência do partido deixará a chefia do Estado.

 Ouça aqui, numa entrevista de Neidy Ribeiro, o sentido desta iniciativa por Marcolino Moco.

Marcolino Moco, ex primeiro-ministro angolano

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.