Acesso ao principal conteúdo
Kofi Annan

Morreu Kofi Annan

Kofi Annan numa conferência da ONU em Genebra. 2/08/12
Kofi Annan numa conferência da ONU em Genebra. 2/08/12 REUTERS/Denis Balibouse
Texto por: João Matos
5 min

Morreu Kofi Annan. O antigo secretário-geral da Organização das Nações Unidas e prémio Nobel da Paz 2001 tinha 80 anos. Nasceu no Gana e estudou na Suíça, onde acabou por morrer, após uma longa carreira diplomática internacional.

Publicidade

Kofi Annan morreu, esta manhã, com a idade de 80 anos, no Hospital de Berna, na Suíça, "após uma curta doença”.

Kofi Annan fez a sua carreira diplomática nas Nações Unidas, após estudos internacionais e de diplomacia na Suíça. Nomeado secretário-geral da ONU, entre 01 de Janeiro de 1997 e 31 de Dezembro de 2006, cumpriu dois mandatos.

Kofi Annan, estudou igualmente economia no MIT dos Estados Unidos e direito no seu próprio país.  

Nasceu e cresceu em Kumasi, na região Ashanti do Gana e foi o primeiro africano negro eleito secretário-geral da ONU.

Acompanhou quase todas as crises e guerras dos fins do século XX, nomeadamente, no Iraque, Bósnia-Herzegovina, Síria, SIDA em África e os conflitos no Quénia, RDC ou o genocídio do Ruanda, que geriu muito mal, enquanto secretário-geral adjunto da ONU.  

O presidente do Gana, Nana Akufo-Addo, decretou uma semana de luto nacional a partir de segunda-feira, em homenagem a Kofi Annan.

"Ele contribuiu consideravelmente para o renome do nosso país pela sua posição, pela sua conduta e comportamento no  mundo", declarou o presidente ganês.

Por cá, em França, o presidente francês, Emmanuel Macron, reagiu à morte de Kofi Annan, prestando homenagem ao antigo secretário-geral da ONU, sublinhando, na sua conta Twitter, que "não esqueceremos nem o seu olhar calmo e decidido e nem a força dos seus combates". 

Por seu lado o presidente da Assembleia nacional, François de Rugy, declarou que é "uma grande figura da Política internacional, do multilateralismo e das relações Norte-Sul, que desaparece". 

Já o chefe da diplomacia francesa, Jean-Yves Le Drian, saudou o compromisso constante "em todos os continentes" do antigo secretário-geral da ONU, Kofi Annan, "ao serviço de grandes causas e a sua acção na modernização da ONU.

Enfim, António Guterres, actual secretário-geral da ONU, saudou em Kofi Annan, "uma força que se levantava para o bem". 

Morreu o ex-secretário-geral da ONU, o ganês, Kofi Annan

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.