Acesso ao principal conteúdo
Angola

Médicos ameaçam fazer greve em Angola

Novo Hospital Geral de Luanda, construído com apoio da China.
Novo Hospital Geral de Luanda, construído com apoio da China. Heriberto Araujo /Juan Pablo Cardenal
Texto por: RFI
1 min

Após terem-se reunido este fim-de-semana em Luanda no âmbito do Fórum nacional de Auscultação dos Médicos de Angola, os profissionais do sector decidiram efectuar uma greve nacional de 3 dias a partir do dia 19 de Novembro no caso de o governo não responder pela positiva às suas reivindicações, entre as quais constam a exigência de melhores salários e condições de trabalho.

Publicidade

Os médicos pretendem também com este movimento obter um regular abastecimento das unidades sanitárias em fármacos e material gastável, sendo que o Sindicato Nacional dos Médicos Angolanos contesta o novo regime remuneratório anunciado pelo governo. No comunicado emitido pelo sindicato, ficou contudo a garantia que, a confirmar-se este movimento de greve, os médicos vão assegurar o serviço mínimo nos hospitais e centros médicos, designadamente nos departamentos de quimioterapia, radioterapia, diálise ou ainda urgências internas.

De referir que poucos médicos têm aderido recentemente aos concursos públicos para admissão nos serviços nacionais de saúde alegando a falta de incentivos neste sector em crise. De acordo com o Ministério Angolano da Saúde que deve lançar um novo concurso público para atrair novos profissionais, o país conta com cerca de 3 mil médicos no desemprego. Mais pormenores com Avelino Miguel.

Avelino Miguel, correspondente da RFI em Angola

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.