Acesso ao principal conteúdo
Angola

Angola: Funeral de Jonas Savimbi será sem honras de Estado

Jonas Savimbi, ex-líder da UNITA, a 11 de Dezembro de 1985.
Jonas Savimbi, ex-líder da UNITA, a 11 de Dezembro de 1985. Christian CHAISE / AFP
Texto por: RFI
5 min

Funeral condigno do Líder da UNITA, morto em combate, marcado para breve mas sem honras de Estado, segundo confirmou em Luanda o ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Pedro Sebastião: “os restos mortais do antigo líder da UNITA, Jonas Savimbi, serão exumados sem honras de Estado”.

Publicidade

Pedro Sebastião falava à margem de um encontro de avaliação da “Operação Transparência”, que isenta a Província de Cabinda devido a supostas tensões pós eleitorais na RDC, mas garante que as condições para a exumação já estão criadas.

Pedro Sebastião esclareceu que a exumação dos restos mortais de Jonas Savimbi não se tratará de um funeral oficial, uma vez que o antigo presidente da UNITA não pertencia à "família governamental", quando faleceu.

Pedro Sebastião acalmou os ânimos de quem pensa que Savimbi teria honra de Estado, explicando que não existem razões para se fazer paralelismos com o funeral de Estado dado ao também falecido general Arlindo Chenda Pena "Ben-Ben", antigo chefe-adjunto do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas (FAA).

Ouça as declarações de Pedro Sebastião, chefe da casa de segurança do presidente angolano.

Pedro Sebastião, chefe da casa de segurança do presidente angolano

Em reacção ao assunto Alcides Sakala, disse à RFI, que o seu partido “não solicitou funeral com honras de Estado”, tendo exigido somente a entrega dos restos mortais à família.

Disse que a direcção da UNITA e a família de Jonas Savimbi estão em sintonia em relação à forma como se pretende sepultar o antigo líder político, e reafirmou a intenção de o fazerem na sua terra natal, antes da realização do Congresso do partido, este ano.

A Comissão Multisectorial para a Exumação, Trasladação e Inumação dos Restos Mortais de Jonas Savimbi tinha agendado para 20 de Dezembro transacto o enterro do ex-líder da UNITA, morto em combate, a 22 de Fevereiro de 2002, o que não aconteceu.

Na base do atraso está o facto de a UNITA exigir a realização de colheitas de amostras dos restos mortais, para serem submetidos a exames de ADN, em três laboratórios por si escolhidos no exterior do país, a fim de certificar que as ossadas correspondam às do seu líder fundador.

Alcides Sakala disse que este ano de 2019 será o ano de homenagem ao Dr. Jonas Savimbi.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.