Acesso ao principal conteúdo
ANGOLA

Angola: cacofonia para funeral de Savimbi

Isaías Samakuva, presidente da UNITA, na RFI a 22 de Fevereiro de 2018.
Isaías Samakuva, presidente da UNITA, na RFI a 22 de Fevereiro de 2018. RFI
Texto por: Neidy Ribeiro
5 min

O Presidente da UNITA diz não saber onde está o corpo de Jonas Savimbi. O governo tem outra versão e afirma que os restos mortais de Savimbi estão depositados numa unidade militar no Andulo à espera que a UNITA e os familiares os venham buscar.  

Publicidade

O início das cerimónias fúnebres do líder histórico da Unita deveriam ter arrancado esta terça-feira no Kuito, mas o dia ficou marcado por desentendimentos e pela falta de diálogo. Em conferência de imprensa, Isaías Samakuva que acusou as autoridades angolanas de ter alterado o calendário à última da hora.

Desde as oito horas da manhã, os dirigentes da Unita, família, amigos e uma comitiva de jornalistas aguardavam a chegada do corpo de Jonas Savimbi ao aeroporto Joaquim kapango. No entanto o tempo passou e nada aconteceu.

Esta noite, os familiares e o presidente da Unita encontram-se para decidir o que fazer amanhã, quarta-feira. Em cima da mesa está uma deslocação ao Andulo, onde está o corpo de Jonas Savimbi, para depois dar seguimento às cerimónias fúnebres.

Jonas Savimbi será sepultado no primeiro de Junho no Lopitanga.

Neidy Ribeiro, enviada especial ao Kuito, Angola

Na ausência dos restos mortais de Jonas Savimbi, o líder da Unita, Samakuva disse, em exclusivo à RFI, querer "saber onde está o corpo" e acusou o governo de "não quer falar com ninguém".

Isaías Samakuva, Presidente da Unita sobre os restos mortais de Savimbi

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.