Angola

Foi a enterrar esta terça-feira activista angolano José Patrocínio

Vigília de homenagem em Luanda a José Patrocínio a 4 de Junho de 2019.
Vigília de homenagem em Luanda a José Patrocínio a 4 de Junho de 2019. rfi/Daniel Frederico

Foi hoje a enterrar no cemitério de Catumbela, Lobito, em Benguela, o activista José Patrocínio, fundador da associação OMUNGA. Paralelamente às cerimónias fúnebres, a figura do activista, mais conhecido por "Zétó" era homenageada em Luanda, no Elinga Teatro e na Igreja Sagrada Família.

Publicidade

Dezenas de activistas angolanos realizaram esta terça-feira vigílias em Luanda e Benguela em homenagem ao fundador da associação OMUNGA, José Patrocínio, que foi a enterrar hoje no cemitério de Catumbela, Lobito.

Efectivamente, enquanto em Lobito, Benguela, o activista, José Patrocínio, era hoje enterrado, em Luanda, decorriam duas homenagens à figura do "Zetó", como era conhecido, uma no Elinga Teatro e outra no Largo da Igreja Sagrada Família em Luanda.

Cândido "Libertador", activista angolano, descreveu assim o cenário e os motivos que o levaram à realização das duas actividades, depois de o terem z uas homenagens ao "Zetó".

Cândido Libertador, activista de direitos humanos em Angola

Por seu lado, o activista cívico, Fabiano "Ancião do Povo" um dos participantes va vigília da Igreja Sagrada Família, falou também da personalidade de José Patrocínio.

Fabiano Ancião do Povo, activista de direitos humanos em Luanda

Por último, um terceiro activista, Lourenço Ndombolo, declarou ao nosso repórter, Daniel Frederico, que a morte de José Patrocínio, é "uma perca irreparável para Angola e à família." 

Lourenço Ndombolo, activista angolano de direitos humanos

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI