Acesso ao principal conteúdo

Festikongo arranca em Angola

Mbanza Congo é património mundial da humanidade na UNESCO desde 2017.
Mbanza Congo é património mundial da humanidade na UNESCO desde 2017. rfi/Daniel Frederico
Texto por: RFI
1 min

Festikongo, que visa celebrar o segundo aniversário da distinção da cidade de Mbanza Kongo como património da Humanidade, quer vir a "fomentar um desenvolvimento sustentável para as populações da região". 

Publicidade

Arranca esta sexta-feira, em Mbanza Congo, norte de Angola, o Festikongo, a primeira edição do Festival internacional da cultura e das artes Kongo.

O evento coincide com a elevação da capital da província do Zaire a património mundial da Unesco a 8 de Julho de 2017. Uma inscrição do Centro Histórico que levou precisamente a que a organização internacional fizesse uma série de recomendações, nomeadamente a da realização deste evento.

É, por isso, que  merece, um grande investimento e atenção por parte das autoridades angolanas. O próprio vice-presidente de Angola, Bornito de Sousa, que presidiu à abertura do certame, disse mesmo pretender igualar, por exemplo, o Festival Internacional de Harare, o que possibilitará "fomentar um desenvolvimento sustentável para as populações da região".

Bornito de Sousa, vice-presidente de Angola

O evento conta com a participação de diversas entidades culturais, não só de Angola, como também do Congo Brazzaville, República Democrática do Congo e do Gabão, territórios que integravam o antigo Reino do Congo.

Segundo o Ministério do Interior angolano, estão no terreno 2 600 agentes que vão facilitar a entrada das comitivas artísticas e garantir a segurança do evento. 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.