Acesso ao principal conteúdo
Angola/Covid-19

Angola/Covid-19: rastreio massivo nos principais mercados de Luanda

Mercado no município de Kilamba Kiaxi, na província de Luanda, em cujos mercados a céu aberto, começou a 8 de julho o rastreio massivo à Covid-19.
Mercado no município de Kilamba Kiaxi, na província de Luanda, em cujos mercados a céu aberto, começou a 8 de julho o rastreio massivo à Covid-19. © Daniel Frederico
Texto por: RFI
4 min

Nos mercados de Luanda está-se a levar a cabo a testagem massiva ao novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, numa altura em que Luanda e o município do Cazengo, no Cuanza Norte, mantêm a cerca sanitária pelo menos até dia 9 de agosto.

Publicidade

Pouco mais de 2.000 feirantes foram testados esta quarta-feira (08/07) no mercado do Catiton, distrito Urbano da Maianga, na província de Luanda, escolhido para o lançamento da campanha.

As autoridades sanitárias começaram esta quarta-feira (8/07) com os testes em massa nos principais mercados a céu aberto da província de Luanda.

A sociedade civil aplaude a iniciativa, mas critica resposta tardia da campanha para travar propagação do novo coronavírus no país.

Em conferência de imprensa sobre a evolução da Covid-19, nesta terça-feira (07/07), Sílvia Lutucuta, porta-voz Comissão Interministerial para Resposta à Covid-19, sublinhou que objectivo é testar seis mil pessoas nestes locais, que registam diariamente grandes fluxos de pessoas.

Os mercados seleccionados para a realização  de testagem são Quilometro 30, no município de Viana, Asa Branca, município do Cazenga,  do Catinton e Mártires de Kifangondo, município de Luanda.

Afonso Kileba, secretário-geral do Sindicato dos Técnicos de Enfermagem, considera a iniciativa da campanha uma mais valia, uma vez que a finalidade é testar para que se evite a propagação da pandemia de Covid-19 na comunidade.

Em função disso, o enfermeiro critica a resposta tardia das autoridades sanitárias no combate à Covid-19 na comunidade, sendo que nos últimos 30 dias, o país registou mais de 100 casos sem vínculos epidemiológicos identificados.

À semelhança do profissional de saúde Afonso Kileba, o jornalista Albino Sampaio, também, aplaude acção porque, para ele, é com testagem em massa, que se consegue saber o estado epidemiológico de cada individuo.

Sampaio acredita que com esta campanha, lançada pela primeira vez, pelas autoridades angolanas, vai ajudar a conter e a prevenir futuros casos de proliferação do novo coronavírus no seio de várias famílias.

Durante a habitual actualização da evolução da covid-19, a Comissão Interministerial para Resposta à Covid-19 revelou que Luanda e o município do Cazengo, na província do Cuanza Norte, vão estar sob cerca sanitária até dia 9 de agosto.

O país registou, esta terça-feira, 33 novos casos positivos à Covid-19, dois óbitos e a recuperação de nove pacientes, elevando para 386 casos confirmados, dos quais 21 óbitos, 117 recuperados e 248 activos.

Dados da Comissão Interministerial para Resposta à Covid-19 indicam que os municípios de Talatona, Belas e os distritos Urbanos da Maianga e Samba, na província de Luanda, continuam a ser os mais afectados.

Com a colaboração de Francisco Paulo, correspondente em Luanda.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.