Acesso ao principal conteúdo
Angola

Angola: Professores e religiosos temem regresso das actividades escolares e religiosas

Angola anunciou o regresso das actividades escolares e religiosas, depois de seis meses de paralisação devido à aparição dos primeiros casos da Covid-19.
Angola anunciou o regresso das actividades escolares e religiosas, depois de seis meses de paralisação devido à aparição dos primeiros casos da Covid-19. © CC-BY-SA François Bianco - François Bianco
Texto por: Francisco Paulo
6 min

Angola anunciou na terça-feira, 9 de setembro, o regresso das actividades escolares e religiosas, depois de seis meses de paralisação devido à aparição dos primeiros casos da Covid-19. Professores e religiosos aplaudem, mas temem por uma vaga contagiosa, caso não se tomem medidas para travar a doença.

Publicidade

Apesar do aumento de infecções, o reinicio das aulas presenciais nas escolas públicas e privadas, nos vários subsistemas de ensino, vai ser gradual, a partir de 05 de Outubro, e os locais de culto reabrem a 19 deste mês, em Luanda e Kuanza Norte.

O SINPES, Sindicato dos professores do Ensino Superior, aplaude a medida, mas espera que o governo crie condições de biossegurança nas escolas, bem como o desdobramento de turmas e o acesso aos transportes públicos.

Eduardo Perez faz saber que é essencial criar condições de biossegurança para o arranque das aulas, afirmando que os professores estão expectantes quanto ao regresso, visto que não há razões de queixa porque o mundo não pode parar devido à pandemia.

O líder sindical pensa que, com as condições, embora não haja um horizonte para erradicar a doença, a sociedade terá que conviver e aprender com a pandemia da Covid-19.

Relativamente à reabertura de igrejas, António Lameira, congratula-se com o reinício das actividades religiosas na capital angolana, mas reconhece que ‘todo o cuidado é pouco, face ao número de casos que continuam a aumentar diariamente no país.

De acordo com o presidente da Coligação das Igrejas Missionárias Africanas em Angola, a melhor maneira de conter o coronavírus em locais de culto é cumprir com as medidas recomendadas pelas autoridades.

António Lameira destacou que as confissões religiosas devem ter condições de retomarem as suas actividades sem colocar em risco a saúde dos fieis, cumprindo com todas as instruções sobre o distanciamento social.

Ouça a reportagem de Francisco Paulo em Luanda.

 

Correspondência de Francisco Paulo, 9/9/2020

 

Desportos e cinemas regressam

O Decreto Presidencial volta a prorrogar a Situação de Calamidade Pública, em Luanda, por mais um período de 30 dias, mas retomam as ligações aéreas domésticas e internacionais não comerciais nos dias 14 e 21 deste mês.

O mesmo diploma desagravou uso da máscara em viaturas, desde que o indivíduo esteja sozinho, mas mantém nos transportes colectivos, vulgo táxis, lugares fechados e abertos e espaços públicos.

Por último, o documento autoriza o regresso de treinos desportivos oficiais, bem como as salas de cinema voltaram a abrir ao público, a partir desta quarta-feira, 9 de setembro.

Por outro lado a cerca sanitária mantém-se em Luanda até 8 de Outubro. Neste contexto o Conselho da república de Angola reuniu-se nesta terça-feira em Luanda tendo adoptado uma série de medidas acerca do impacto da pandemia de Covid-19 na vida do país. As primeiras eleições autárquicas, agendadas para este ano, não se vão realizar devido à pandemia, o escrutínio terá lugar "logo que possível".

Ouçamos o chefe de Estado angolano, João Lourenço, num registo da agência Angop.

João Lourenço, presidente angolano

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.