Acesso ao principal conteúdo
Angola

Governo encerra templos da iurd e prolonga estado de calamidade pública

Governo angolano mantém encerrada Igreja Universal do Reino de Deus em Angola e prolonga calamidade pública
Governo angolano mantém encerrada Igreja Universal do Reino de Deus em Angola e prolonga calamidade pública © IURD
Texto por: Avelino Miguel
4 min

O Presidente angolano, João Lorenço, decretou a prorrogação da vivência do estado de calamidade pública no país, autorizando ainda a realização de cultos. Uma autorização que exclui, no entanto,  igreja universal cuja actividade foi proibida pela justiça angolana devido à lavagem de dinheiro.

Publicidade

No quadro de uma decisão judicial, foi suspensa actividade religiosa da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola,após a crise de liderança entre pastores angolanos e brasileiros.

O último decreto da presidência angolana que prolonga a vivência do estado de calamidade pública no país, autoriza a realização de cultos religiosos de igrejas legalizadas nos fins de semana.

A igreja universal cuja actividade foi proibida pela justiça angolana, enquanto decorrem as investigações de alegações que envolve a mesma em acções criminosas,tentou realizar cultos que foram inviabizados pela polícia.

Os pastores da ala angolana que foram ouvidos pela polícia criticaram a postura das autoridades e afirmaram não entenderem as razões do encerramento da actividade da Igreja no país.

A Procuradoria Geral da República suspendeu, no dia 13 de agosto, a igreja universal de toda actividade religiosa, na sequência das investigações sobre lavagem de dinheiro, vasectomia e outros  crimes graves que é acusada, na denúncia de pastores angolanos.

De Luanda, o nosso correspondente, Avelino Miguel. 

Correspondência de Avelino Miguel do dia 22 de Setembro de 2020

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.