Acesso ao principal conteúdo
Angola

ONG denuncia violência policial contra manifestantes em Luanda

Manifestação em Luanda.
Manifestação em Luanda. © lusa
Texto por: RFI
3 min

A Organização Não Governamental norte-americana Friends of Angola denuncia detenções e agressões na marcha deste sábado contra o desemprego. A polícia nega acusações e confirma terem sido "retidas" 13 pessoas que ficaram em liberdade.

Publicidade

Centenas de pessoas, sobretudo jovens, saíram às ruas no sábado, 26 de Setembro, para exigir o cumprimento da promessa eleitoral do Presidente angolano, João Lourenço, em criar 500 mil empregos e políticas sustentáveis para a juventude. Os manifestantes protestaram ainda contra a degradação das condições de vida em Angola.

A ONG Friends of Angola diz ter recebido denúncias de detenções e agressões na marcha do desemprego em Luanda. Segundo a ONG norte-americana, vários manifestantes alegam ter sido agredidos por supostos agentes da Polícia Nacional. Entre os feridos, está um elemento da ONG, que terá sido "submetido a uma tortura física" e ficado com o telemóvel apreendido.

O porta-voz do comando provincial de Luanda negou quaisquer actos de violência por parte da polícia, confirmando, no entanto, terem sido levados para a esquadra 13 manifestantes.

"Não foram detidos, foram retidos. Foram levados, porque impediram o trânsito, fizeram barreiras e arremessaram objectos", afirmou à agência de notícias Lusa.

A taxa de desemprego em Angola aumentou quatro pontos percentuais o segundo trimestre de 2020, comparativamente ao mesmo período em 2019. Estimando-se em 32,7% e em cerca de 4,7 milhões de desempregados no país, dos quais 60%  jovens. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.