Angola/Covid-19

Angola: ministra da saúde desmente estirpe angolana da Covid-19

Angola desmente estirpe angolana da Covid-19 altamente contagiosa, anunciada a 4 de abril por cientistas sul-africanos.
Angola desmente estirpe angolana da Covid-19 altamente contagiosa, anunciada a 4 de abril por cientistas sul-africanos. © Facebook

A ministra da saúde de Angola, Sílvia Lutucuta desmentiu nesta segunda-feira, 5 de abril a existência de uma nova estirpe angolana da Covid-19, que seria altamente contagiosa segundo cientistas sul-africanos, mas admitiu 64 casos, sendo 7 da variante sul-africana, 5 da britânica 1 da nigeriana, bem como uma nova variante detectada em 3 jogadores tanzanianos, todos diagnosticados no mês passado logo após o seu desembarque no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda.

Publicidade

A ministra da saúde de Angola, Sílvia Lutucuta, desmentiu em Luanda a existência de uma nova estirpe angolana, altamente contagiosa da Covid-19, detectada por cientistas cientistas sul-africanos da Plataforma de Inovação e Sequenciamento de Pesquisa KwaZulu-Natal, que sublinharam que a nova variante "não foi ainda reportada em nenhum outro país", nomeadamente na África do Sul, foi anunciado a 4 de abril.

Durante uma conferência de imprensa na segunda-feira, 5 de abril, sobre a pandemia da Covid-19, Sílvia Lutucuta, anunciou,que esses três casos diagnosticados em Angola no mês passado e confirmados num laboratório na África do Sul, são de cidadãos tanzanianos integrantes de uma equipa de futebol que escalou Luanda.

Segundo a ministra, os três tanzanianos foram testados positivos depois de escalarem Luanda e as análises foram enviadas a um laboratório especializado na África do Sul, no quadro da cooperação existente entre os dois países.

A governante anunciou também, a circulação comunitária da estirpe britânica em Angla, com o registo de mais de 60 casos.

Sílvia Lutucuta exortou a população ao cumprimento das medidas básicas de protecção como a lavagem regular das mãos, saída desnecessária às ruas, uso correcto da máscara e evitar locais com aglomeração de pessoas.

Sílvia Lutucuta recordou ainda que a 5 de Março foram apresentados os primeiros testes feitos pelo Instituto Nacional de Investigação em Saúde, em colaboração com o laboratório KRISP, e foram detectados 17 casos das novas variantes, sendo sete sul africana, cinco inglesa, uma nigeriana e uma nova variante em três jogadores tanzanianos, todos diagnosticados logo após o seu desembarque no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda.

Até ao momento,Angola conta com 22.717 casos confirmados, dos quais 21.452 recuperados, 543 vítimas mortais e 722 casos activos do novo coronavírus.

Avelino Miguel, correspondente em Luanda 6/04/2021

Tanzânia

A Tanzânia tem uma epidemia em grande parte não documentada e poucas medidas de saúde pública para prevenir a propagação dentro e fora do país, tem oficialmente 509 casos de infectçõ pela Covid-19 e 21 óbitos, deixou de divulgar novos casos de infecção e óbitos associados à Covid-19 em maio de 2020, segundo o centro de monitoria global da doença pandémica da Universidade John Hopkins.

O Presidente tanzaniano, John Magufuli, que morreu oficialmente no passsado dia 17 de março de doença cardíaca associada à Covid-19, segundo a oposição, negou a existência da pandemia do novo coronavírus no país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI