#Angola

Luanda lança mega campanha de recolha de lixo

Luanda lançou uma mega campanha de recolha de resíduos sólidos, envolvendo 12 empresas de construção civil efetivas das Forças Armadas.
Luanda lançou uma mega campanha de recolha de resíduos sólidos, envolvendo 12 empresas de construção civil efetivas das Forças Armadas. © Daniel Frederico

Luanda lançou uma mega campanha de recolha de resíduos sólidos, envolvendo 12 empresas de construção civil e efectivos das Forças Armadas. A operação de limpeza será coordenada pela Comissão Multisectorial, liderada pela ministra de de Estado para a Acção Social, Carolina Cerqueira.

Publicidade

As autoridades angolanas lançaram uma mega campanha de recolha de resíduos sólidos, envolvendo 12 empresas de construção civil efetivas das Forças Armadas. A operação de limpeza será coordenada pela Comissão Multisectorial, liderada pela ministra de de Estado para a Acção Social, Carolina Cerqueira.

Em declarações à imprensa, a ministra Carolina Cerqueira afirmou que o objectivo desta Comissão Multisectorial, criada pelo Presidente João Lourenço, não é destituir o Governo Provincial das suas funções, mas sim apoiá-lo a resolver o problema do lixo que se acumula na capital.

“O meu objectivo é auxiliar o Governo da Província a resolver os problemas inerentes à acumulação, recolha e tratamento de lixo, a fim de se evitarem males maiores. Nomeadamente problemas relacionados com a saúde pública e com a degradação do ambiente. Esta comissão não pretende substituir o Governo da Província Luanda, sendo antes uma ajuda para, em conjunto, encontrar a solução de um problema gravíssimo”, explicou.

A ministra da Saúde Silvia Lutucuta, que também integra a Comissão Multisectorial, lembrou que esta iniciativa pretende evitar uma crise de saúde pública, como é o caso da cólera.

" A cólera é uma doença que depende de dois factores determinantes: o acesso à água potável e o saneamento básico. É por esta razão, para evitar uma crise de saúde pública, que se estão a tomar estas medidas de emergência, por forma a retirar os factores de risco para evitar o surgimento desta doença. Temos estado a testar doentes para a despistagem de cólera, mas até ao momento não temos nehum caso de cólera", afirmou Silvia Lutucuta.

Desde do início do ano que a capital enfrenta problemas com a recolha de lixo que tem sido efectuada de forma ocasional. A situação levou à acumulação de lixo em vários pontos de Luanda, ponto em risco a saúde dos cerca de 11 milhões de habitantes.

Segundo dados disponibilizados pela Angop,a província de Luanda produz, diariamente, pelo menos seis mil 800 toneladas de lixo e rende cerca de 300 milhões de dólares por ano às empresas de recolha.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI