Angola/Economia

Em Angola trabalhadores do Caminho de ferro de Benguela suspendem greve

Comboio da linha dos Caminhos de Ferro de Benguela. Os trabalhadores do CFB  suspenderam a greve  que devia ter início no dia 6 de Maio  de 2021, enquanto as suas reivindicações são transmitidas ao governo para a procura de soluções.
Comboio da linha dos Caminhos de Ferro de Benguela. Os trabalhadores do CFB suspenderam a greve que devia ter início no dia 6 de Maio de 2021, enquanto as suas reivindicações são transmitidas ao governo para a procura de soluções. Apostolado

Os trabalhadores do Caminho de Ferro de Benguela,anunciaram o início de uma greve a partir de quinta-feira para exigir o aumento salarial de cinquenta por cento e outros direitos  laborais.

Publicidade

Os trabalhadores, do Caminho de caminho de Ferro de Benguela,anunciaram na quinta-feira  o início  de uma greve para exigir o aumento salarial de cinquenta por cento e outros direitos laborais.

De acordo com a Comissão Sindical da empresa, considerada estratégica para a economia angolana, a entidade patronal não atendeu as suas reivindicações,que incluem designadamente o pagamento da dívida salarial e o aumento do apoio alimentar da cesta básica.

A paralisação, do Caminho de Ferro de Benguel, afecta a circulação de passageiros e mercadorias no chamado Corredor do Lobito, estratégico para as sub-regiões central e austral do país da África  austral.

 Perante o aumento do custo de vida e da extrema pobreza em Angola,multiplicaram-se as reivindicações laborais nos vários sectores da economia angolana.

Segundo a agência de notícias angolana, Angop, a pedido do governador da província de Benguela, Luís Nunes, a efectivação do movimento de greve foi suspensa por 30 dias, de forma a que o dirigente possa apresentar aos ministérios das Finanças e dos Transportes, as reivindicações dos Trabalhadores.

O secretário para os assuntos jurídicos dos CFB, Moisés Cacumba confirmou a reunião com o governador Luís Nunes, na qual também participaram , o presidente do Conselho de Administração dos Caminhos de Ferro de Benguela,  Luís Teixeira,bem como representantes dos ministérios dos Transportes, das Finanças e da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, e do sindicato dos trabalhadores.

Cacumba, informou que o governador provincial comprometeu-se a transmitir aos ministérios atrás referidos as reivindicações dos trabalhadores, com vista à uma procura de soluções. 

Ouça aqui a correspondência de Avelino Miguel em Luanda

Correspondência de Avelino Miguel, 6/5/2021

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI