Covid-19

Postos de vacinação em Angola com menos adesão do que era previsto

O coordenador da Comissão Multi-sectorial do Combate à Covid em Angola, Francisco Pereira Furtado, pediu a cooperação do meios de comunicação para incentivar à vacinação.
O coordenador da Comissão Multi-sectorial do Combate à Covid em Angola, Francisco Pereira Furtado, pediu a cooperação do meios de comunicação para incentivar à vacinação. © Francisco Paulo

As autoridades angolanas queixam-se da fraca adesão da população aos postos de vacinação contra a covid-19, receando ainda que a falta de pessoas coloque em causa a campanha que decorre em todos os municípios do país.

Publicidade

As autoridades sanitárias previam o agendamento diário de 90 mil pessoas para serem vacinadas, mas na prática os números estão logo das previsões.

Segundo Francisco Furtado, coordenador da Comissão Multi-sectorial de Prevenção e Combate à Covid-19, em Luanda deveriam ser vacinadas diariamente cerca de três mil pessoas, mas tal não acontece. Na capital, foram criados sete novos postos de alto rendimento para a vacinação contra a pandemia.

O coordenador da luta contra a covid-19 lamenta ainda o facto e diz que este comportamento acontece numa altura em que o país se prepara para o regresso à normalidade, com a abertura das praias.

“Apesar de se notar uma evolução positiva da eficácia das medidas, estando o país já com níveis bastante satisfatórios da recepção de vacinas das diferentes variantes que nós estamos a utilizar, a adesão da população não está a ser positiva”, disse o também antigo chefe do Estado Maior das Forças Armadas Angolanas (FAA) 

Este responsável quer, por isso, o envolvimento da sociedade civil e dos órgãos de comunicação social públicos e privados em campanhas de sensibilização, com a finalidade de mudar o actual o quadro.

O coordenador da Comissão Multi-sectorial do Combate à Covid, Francisco Pereira Furtado (no centro), Silvia Lutucuta, ministra da Saúde (à direita), e a governadora de Luanda, Ana Paula de Carvalho (à esquerda), visitaram diferentes postos de vacinação espalhados por Luanda, em Angola.
O coordenador da Comissão Multi-sectorial do Combate à Covid, Francisco Pereira Furtado (no centro), Silvia Lutucuta, ministra da Saúde (à direita), e a governadora de Luanda, Ana Paula de Carvalho (à esquerda), visitaram diferentes postos de vacinação espalhados por Luanda, em Angola. © Francisco Paulo

 “Os novos postos de alto rendimento instalados nos sete municípios da província de Luanda deveriam, em média, vacinar cerca de três mil pessoas em cada posto e no país todo estão criadas as condições para termos uma média de 90 mil, por dia, no entanto, esta afluência está a ser bastante reduzida”, insistiu Francisco Furtado.

Nas últimas 24 horas, o país registou oito óbitos associados à Covid-19 e 223 novos casos positivos, totalizando 48.004, período em que foram reportadas também 170 recuperações.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI