Angola

Extradição de Portugal para Angola de Abel Cosme, antigo PCA da TCUL

Abel Cosme, ex-presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Transporte de Luanda (TCUL).
Abel Cosme, ex-presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Transporte de Luanda (TCUL). © DR

Lisboa extraditou ontem rumo a Luanda Abel Cosme, ex-presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Transporte de Luanda (TCUL), uma das figuras envolvidas no escândalo de corrupção do Conselho Nacional de Carregadores (CNC) que tinha fugido para Portugal em 2018 numa alegada tentativa de se subtrair à justiça do seu país.

Publicidade

Abel Cosme, ex-PCA da TCUL chegou a Angola esta terça-feira para ser julgado no quadro do processo do "Caso CNC", em que é suspeito de desvio de fundos, de branqueamento de capitais, corrupção, peculato e associação criminosa durante o período em que geriu a Unicargas E.P, num esquema através do qual terá em seguida constituído uma empresa privada de serviço de táxi.

O antigo dirigente que fugiu para Portugal em 2018, alegando problemas de saúde, deveria ter sido julgado em 2019 no processo durante o qual o ex-ministro dos Transportes Augusto Tomás foi condenado a uma pena de prisão de 14 anos reduzida em segunda instância para 8 anos e 4 meses. Neste mesmo processo foram igualmente condenados o antigo director-geral do CNC, Manuel António Paulo, a ex-directora adjunta para a Área Financeira, Isabel Bragança, e o então director adjunto para a Área Técnica, Rui Manuel Moita.

Depois de o seu nome aparecer no "alerta vermelho" da Interpol e em virtude dos acordos de cooperação judicial entre Portugal e Angola, Abel Cosme acabou por ser detido no início deste ano pelas autoridades lusas, tendo sido recentemente anunciada a decisão da sua extradição.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI