Repórteres Sem Fronteira

Brasil perde 9 posições no ranking mundial de liberdade de imprensa

Mapa da liberdade de imprensa em 2013
Mapa da liberdade de imprensa em 2013 rsf.org

O ranking mundial de liberdade de imprensa 2013 foi publicado nesta quarta-feira pela organização não-governamental Repórteres sem Fronteiras, sediada em Paris. Segundo o documento, a queda da liberdade de imprensa no Brasil, iniciada em 2011, continua. A ONG analisa que o ranking 2013 foi menos influenciado pelas revoltas árabes que, no ano passado, provocaram muitas oscilações.

Publicidade

O Brasil perdeu nove posições no ranking mundial de liberdade de imprensa e passou da 99ª posição, que ocupava em 2012, para a 108ª colocação da lista composta por 179 países. O comunicado da ONG divulgado nesta quarta-feira diz que o Brasil, motor econômico da América Latina, não está à altura de sua importância regional. A degradação da liberdade de imprensa no país, iniciada em 2011, continua. A queda é explicada pela morte de cinco jornalistas brasileiros no ano passado, o maior número em mais de uma década, mas também por problemas persistentes no pluralismo da mídia nacional.

Ranking mundial

A Repórteres sem Fronteiras analisa que o ranking mundial de liberdade de imprensa 2013 foi menos influenciado pelas revoltas árabes. Este ano a classificação obedece a uma configuração mais clássica, menos ligada à atualidade política. A ONG lembra que vários critérios, que vão desde a violência contra jornalistas até a legislação do setor, são levados em conta para elaborar o ranking.

Os países democráticos ocupam os primeiros lugares. A lista é liderada pelo mesmo trio de 2012. Finlândia, Holanda e Noruega continuam sendo os países que mais respeitam a liberdade de imprensa no mundo. Já na lanterninha do ranking estão três ditaduras: Turcomenistão, Coreia do Norte e Eritréia, os mesmos do ano passado.

“O ranking mundial da Repórteres sem Fronteiras não leva diretamente em conta a natureza dos regimes políticos, mas fica evidente que as democracias protegem melhor a liberdade de produção e difusão de informações do que países onde os direitos humanos são desprezados”, explica a ONG.

Índice anual de liberdade de imprensa

Pela primeira vez, Repórteres sem Fronteiras publicou também um índice anual de liberdade de imprensa que vai de 0 a 100, o zero representando a situação ideal. O objetivo é ter um dado planetário, resultado de vários critérios, que será uma referência para o futuro.

O estudo de 2013 indica que a zona Europa obteve o melhor índice, 17,5. Em seguida vem a América, com 30,0 pontos, a África, com 34,3, a Ásia-Pacífico com 42,2 e os ex-países soviéticos, com 45,3. A região das revoltas árabes, Oriente Médio e África do Norte, ficou em último lugar, registrando 48,5 pontos. Individualmente, o Brasil fez 32,75 pontos.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI