Brasil/Copa do Mundo

Jogo entre Brasil e México terá forte esquema de segurança para evitar protestos

Arena Castelão, 2013
Arena Castelão, 2013 Flickr/Crystian Cruz

Os moradores do bairro onde fica o estádio tiveram que se cadastrar e colar no para-brisa uma autorização especial para circular em dias de jogos. Militares também foram destacados para a segurança do jogo que começa às 21h no estádio do Castelão, em Fortaleza. A partida, que pode garantir a vaga do Brasil nas oitavas de final, promete ser uma das mais complicadas para a seleção nesta primeira fase.

Publicidade

Elcio Ramalho, enviado especial a Fortaleza

Para os moradores da capital cearense, esta terça-feira será lembrada como o dia em que os mexicanos invadiram a cidade. Torcedores vestidos com a camiseta verde da seleção, com bandeiras enroladas pelo corpo e na cabeça, e muitos com os tradicionais sombreros, invadiram as ruas e os locais mais turísticos, como a orla marítima.

Uma pesquisa revelada hoje mostra que, dos mais de 63 mil ingressos colocados à venda para a partida, 68% foram comprados por turistas, sendo 26% deles estrangeiros. Em primeiro lugar na lista aparecem os mexicanos seguidos dos americanos. Ou seja, o amarelo vai dividir espaço com o verde na Arena Castelão

Mas, apesar do clima festivo, um forte esquema de segurança foi organizado ao redor do estádio, para evitar a aproximação de eventuais manifestantes. Desde ontem, militares já estavam posicionados no perímetro de cerca de dois quilômetros ao redor do estádio. Diversas barreiras colocadas em torno do Castelão também vão evitar a entrada de veículos. Foram limitados dois carros por família.

No ano passado, 35 mil pessoas manifestaram nos arredores do estádio, também em um jogo contra o México pela Copa das Confederações, quando houve confrontos violentos com os policiais. Os rumores é de que novos protestos estão previstos hoje, mas não há informações sobre a mobilização.

Jogo promete ser um dos mais complicados para o Brasil

O histórico entre os times mostra que o México se tornou uma pedra no sapato do Brasil. Todo mundo se lembra da derrota do Brasil nas Olimpíadas de 2012 na disputa pela medalha de ouro. Peralta, autor dos dois gols da vitória mexicana, virou carrasco do Brasil e estará em campo amanhã ao lado de outro atacange perigoso, Giovanni dos Santos, filho de um brasileiro.

Na entrevista coletiva ontem, na Arena Castelão, o treinador Miguel Herrera e alguns jogadores disseram que não têm medo do Brasil e não haverá marcação especial em Neymar porque o time todo é perigoso. Já Felipão continua com a dúvida se Hulk vai ter condições de jogo. Ele espera uma vitória porque esse resultado pode garantir a classificação e será mais um degrau nos seis que ainda faltam para o hexacampeonato.

Chuvas não ameaçam partida, garantem autoridades

Uma vistoria feita no local não constatou nenhum problema que ameaçasse a realização da partida. Nos últimos dias, a chuva não deu trégua em Fortaleza e foram identificadas goteiras na Arena das Dunas. Em 48 horas, choveu o equivamente a um mês, segundo os serviços meteorológicos. A situação só não foi pior porque foi usada uma drenagem para evitar que as lagoas de contenção das águas da chuva transbordassem. O maior problema é em relação ao moradores de alguns bairros. Muitas casas fora destruídas por causa de uma cratera, e cerca de 150 moradores estão desalojados.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI