Acesso ao principal conteúdo
Marina/Aécio

Marina declara voto e apoio a Aécio no segundo turno

Marina Silva, do PSB.
Marina Silva, do PSB. REUTERS/Nacho Doce
3 min

Marina Silva, ex-senadora e candidata derrotada à presidência pelo PSB, declarou neste domingo (12), em São Paulo, seu voto e apoio à candidatura do tucano Aécio Neves. “A alternância de poder fará bem ao Brasil”, disse. A imprensa francesa dá grande destaque ao apoio de Marina a Aécio. A ecologista assumiu a chapa do PSB após a morte de Eduardo Campos, no dia 13 de agosto. Ela ficou em terceiro lugar no primeiro turno, com 22 milhões de votos, atrás da presidente Dilma Rousseff (PT) e de Aécio Neves (PSDB).

Publicidade

A imprensa francesa dá grande destaque ao apoio de Marina Silva a Aécio Neves. Logo após a declaração de Marina no Brasil, os sites dos principais jornais, rádios e TVs da França anunciavam o apoio da candidata ecologista, derrotada no primeiro turno das presidenciais, ao rival de Dilma Russeff.

O conservador Le Figaro diz que "a direita brasileira ganhou um novo apoio". Le Monde escreve que a decisão de Marina "ameça complicar ainda mais os planos de Dilma Rousseff e que o segundo turno será extremamente disputado". Libération informa que a ex-ministra do governo Lula negociou pesado durante toda a semana seu apoio com candidato do PSDB, Aécio Neves.

A declaração de Marina acontece após o representante do PSDB se comprometer a quase todas as exigências apresentadas por Marina em uma proposta de alinhamento programático. “Votarei em Aécio e o apoiarei, votando nesses compromissos, dando um crédito de confiança à sinceridade de propósitos do candidato e de seu partido”, falou a ex-senadora.

Ontem, sábado (11), o tucano, em uma carta de compromisso, garantiu que vai dar prioridade à demarcação de terras indígenas, à ampliação da reforma agrária e à continuidade dos programas sociais. No entanto, não aceitou a redução da maioridade penal para crimes hediondos, uma promessa da campanha tucana.

Ataques destrutivos

“Em curto espaço de tempo, e sofrendo os ataques destrutivos de uma política patrimonialista, atrasada e movida por projetos de poder pelo poder, mantivemos nosso rumo, amadurecemos, fizemos a nova política na prática”, declarou a ex-senadora.

“Aécio retoma o fio da meada virtuoso e corretamente manifesta-se na forma de um compromisso forte, a exemplo de Lula em 2002, que assumiu compromissos com a manutenção do plano Real, abrindo diálogo com os setores produtivos”.

Marina Silva alcançou 22 milhões de votos no primeiro turno (21,32% dos votos válidos), terminando em terceiro lugar, depois de Dilma Rousseff e Aécio Neves. A presidente (PT) e o tucano estão tecnicamente empatados, segundo as últimas pesquisas, com ligeira vantagem para Aécio.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.