Brasil/Israel

Em visita a Israel, Eduardo Cunha diz que esporte foi criado para fugir da discussão política

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, se reuniu com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu em Jerusalém.
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, se reuniu com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu em Jerusalém. Amos Ben Gershom/ GPO

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, foi recebido nesta quarta-feira (3) com honras de chefe de Estado em Israel no primeiro dia de uma viagem oficial ao país. O premiê israelense pediu apoio ao Brasil nas negociações com os palestinos. O representante brasileiro continua seu giro internacional com escalas na Palestina e na Rússia.

Publicidade

Daniela Kresch, correspondente da RFI em Jerusalém

Cunha, que lidera uma delegação de 12 deputados federais, foi recebido pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. O chefe do governo pediu ajuda ao Brasil para que não deixe que os palestinos façam uso do esporte como arma diplomática contra Israel. Na semana passada, o presidente da Associação Palestina de Futebol, Jibril Rajoub, ameaçou colocar em votação a suspensão de Israel da Fifa por supostos atos contra jogadores de futebol palestinos. “Os palestinos querem evitar nossa ida à próxima Copa do Mundo misturando política com Esporte. A ideia é nos isolar. Mas estamos certos de que pessoas justas pelo mundo vão rejeitar essa má medida”, afirmou Netanyahu.

Eduardo Cunha respondeu dizendo que concorda com a noção de que “o esporte não existe para dividir e fazer política, e sim para unir as pessoas”. Para o presidente da Câmara, “as competições foram criadas justamente para que possamos fugir da discussão política”.

Brasil e Israel prometem aumentar parcerias

Mais cedo, a delegação brasileira visitou o Knesset, o Parlamento em Jerusalém, onde Cunha passou em revista as tropas e depositou uma coroa de flores. No plenário, o presidente do Parlamento, Yuli Edelstein, destacou o fato de que, após ser eleito como presidente de Câmara, Cunha escolheu Israel como seu primeiro destino internacional. “Isso prova nosso relacionamento com o país”, afirmou o brasileiro. Edelstein e Cunha prometeram aumentar a cooperação entre Brasil e Israel nos campos de tecnologia, energia, água, educação, direitos infantis e das mulheres.

O presidente da Câmara também visitou o Museu do Holocausto, onde acendeu a “chama eterna” em homenagem aos milhões que morreram durante a Segunda Guerra Mundial, entre eles seis milhões de judeus. Na quinta-feira (4), a delegação viaja a Ramallah, na Cisjordânia, onde se encontrará com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmud Abbas.

Cunha e os outros deputados ficam no Oriente Médio até sábado, quando viajam para Moscou, na Rússia, onde participam do fórum parlamentar dos BRICs, grupo composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI