Acesso ao principal conteúdo
Brasil/Justiça

Brasil: Sérgio Moro ouvido em tribunal após acusações contra Jair Bolsonaro

Presidente do Brasil Jair Bolsonaro (esq) e seu antigo ministro da justiça Sérgio Moro (dir) ouvido no sábado, (2/05) durante 8 horas no tribunal federal de Curitiba.
Presidente do Brasil Jair Bolsonaro (esq) e seu antigo ministro da justiça Sérgio Moro (dir) ouvido no sábado, (2/05) durante 8 horas no tribunal federal de Curitiba. EVARISTO SA, Sergio LIMA / AFP
Texto por: Isabel Pinto Machado com AFP
2 min

Sérgio Moro, antigo ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, foi ouvido este sábado em tribunal durante oito horas, acerca das suas acusações contra o Presidente Jair Bolsonaro, que segundo Moro, teria interferido directamente em inquéritos policiais.

Publicidade

Sérgio Moro, ex-juíz anti-corrupção na operaçãoLava Jato, cujo ponto culminante foi a detenção do antigo Presidente Lula da Silva, era o ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil até 24 de Abril último, tendo-se demitido após o afastamento pelo Presidente Jair Bolsonaro do chefe da polícia federal Maurício Valeixo, seu próximo colaborador.

Sérgio Moro que qualificou esta demissão de "ingerência política que fere a credibilidade do governo", foi interrrogado este sábado (2/05) no tribunal federal de Curitiba (onde reside desde que se demitiu) após ter feito graves acusações contra o Presidente Jair Bolsonaro, que segundo Moro, teria interferido em inquéritos policiais.

No dia da sua demissão em conferência de imprensa Sérgio Moro afirmou "o Presidente disse-me que pretendia nomear alguém [para chefe da polícia] com quem tivesse um contacto pessoal, a quem pudesse telefonar, para obter informações sobre os inquéritos", acusações "infundadas" segundo Jair Bolsonaro.

Na sequência destas revelações explosivas, Celso de Mello, presidente do Spremo Tribunal Federal autorizou m inquérito, instaurado pelo Procurador-Geral da República, Augusto Aras, a 27 de Abril, para apurar se a denúncia de Sérgio Moro é caluniosa, ou se Jair Bolsonaro cometeu crimes de coação, prevaricação ou obstrução da justiça, tanto mais que várias figuras próximas do chefe de Estado são alvo de inquéritos judiciais, incluindo os seus filhos.

Nada transpareceu até ao momento sobre as declarações de Sérgio Moro, mas em entrevista na véspera ao semanário Veja, Sérgio Moro afirmava que iria apresentar provas das suas acusações contra o Presidente Jair Bolsonaro, que através da rede social twitter o acusou de "Judas" e acusou-o de ter impedido a Polícia Federal de investigar a facada que Bolsonaro sofreu durante a campanha eleitoral em 2018 e cujo autor de encontra detido desde então.

Este inquérito poderia culminar em acusações contra ambos: um processo de destituição ou "impeachement" contra Jair Bolsonaro, por denúncia caluniosa, prevaricação e crime contra a honra, caso se prove que as acusações de Sérgio Moro não têm fundamento, ou em acusações de denúncia caluniosa e delito imaginário contra Sérgio Moro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.