Acesso ao principal conteúdo
Brasil

Brasil decreta três dias de luto em memória às vítimas de Covid-19

Sede do Supremo Tribunal Federal em Brasília, Distrito Federal, Brasil.
Sede do Supremo Tribunal Federal em Brasília, Distrito Federal, Brasil. © wikipedia
Texto por: Lígia ANJOS
3 min

O Senado, a Câmara de Deputados e o Supremo Tribunal Federal anunciaram três dias de luto em memória das quase 11.000 pessoas que já perderam a vida devido à pandemia.

Publicidade

Os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, afirmaram que o "Congresso Nacional também sofre a dor de famílias que perderam os entes queridos" e que a Casa "tem feito sua parte ao tomar medidas legislativas de suporte às pessoas, aos governos e às empresas".

O Brasil registrou até o momento perto de 11.000 mortos por complicações do novo coronavírus desde que o primeiro caso no país foi identificado no passado mês de Março.

Durante três dias foram proibidas celebrações, comemorações ou festividades. O decreto de três dias de luto oficial foi publicado na edição extraordinária do Diário Oficial do Congresso Nacional este sábado, com assinatura do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidentes de Câmara e Senado.

Enquanto as bandeiras eram hasteadas a meio mastro, no Congresso Nacional, apoiantes do presidente faziam uma nova manifestação contra o Parlamento e o Supremo Tribunal Federal. 

"Em nome do Poder Judiciário brasileiro e do Supremo Tribunal Federal, exprimo os nossos sentimentos de mais profunda tristeza e também a nossa solidariedade aos familiares e aos amigos de cada um desses mais de dez mil brasileiros, cujos entes queridos foram, em grande parte, privados de uma justa despedida", afirma Toffoli no comunicado emitido.

"Precisamos, mais do que nunca, de unir esforços, em solidariedade e fraternidade, em prol da preservação da vida e da saúde. A saída para esta crise está na união, no diálogo e na acção coordenada, amparada na ciência, entre os Poderes, as instituições, públicas e privadas, e todas as esferas da Federação desse vasto país", lê-se ainda no documento.

Também o presidente do Supremo, Ministro Dias Toffoli, declarou que "os números, por si só, não dão conta do tamanho da tragédia". 

No fim do mês de Abril, quando o Brasil atingiu a marca de 5 mil mortes pela Covid-19, Jair Bolsonaro respondeu a uma pergunta sobre o dado ao dizer: "E daí?"

“E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre", afirmou o Presidente brasileiro.

O ministério da Saúde confirmou este sábado a morte de 10.627 pessoas do novo coronavírus - 730 em 24 horas. O número de infectados no país atingiu os 155.939 casos.

Com os novos dados, o Brasil passa a ser o sexto país com o maior número de vítimas da Covid-19 no mundo, seguindo os Estados Unidos, Reino Unido, Itália, França e Espanha.

 

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.