Manifestações/Brasil

Brasil assinala dia da independência com manifestações anti e pró Bolsonaro

O Brasil assinala hoje o dia da independência com manifestações anti, mas sobretudo pró Bolsonaro.
O Brasil assinala hoje o dia da independência com manifestações anti, mas sobretudo pró Bolsonaro. © Pierre le-Duff

O Brasil assinala hoje o dia da independência com manifestações anti, mas sobretudo pró Bolsonaro. O chefe de Estado actual apelou a que os seus adeptos viessem para a rua manifestar-lhe o seu apoio.

Publicidade

Vários apoiantes do actual Presidente decidiram cumprir a sua vontade e sairam hoje às ruas das principais cidades do país. Os manifestantes proclamam a "defesa da liberdade" e "valores conservadores", em protestos que fizeram aumentar a tensão política no país.

Os apoiantes mais radicais de Jair Bolsonaro têm feito apelos para que se invadam as sedes do Parlamento e do Supremo Tribunal Federal (STF) e têm utilizado as redes sociais para difundir ameaças, algumas delas graves, sugerindo o assassínio de juízes.

O Brasil, recorde-se, vive um momento de tensão política devido às discórdias entre o atual chefe de Estado do país e os juízes do STF.

São Paulo e Brasília são as duas principais cidades onde decorrerão as manifestações convocadas por grupos de extrema-direita e Bolsonaro garantiu marcar presença em ambas.

Com batida do funk brasileiro, apoiantes de Jair Bolsonaro reuniram-se hoje de manhã junto à praia de Copacabana. São muitos mais numerosos do que nas últimas manifestações. Depois de dois meses de divulgação intensa nas redes sociais e com o apoio financeiro de sectores do mundo rural, o Presidente conseguiu uma grande mobilização. 

Assis, engenheiro, tem um discurso radical, mas partilhado por muitos manifestantes. "Eu sou a favor daquele que é pelo Brasil, pela pátria, e pela família. E ele representa tudo isso para nós. Não tem nada a criticar dele. O problema é a mídia. Tudo o que está estabelecido, eu sou contra, a começar pelo STF. Um juiz nomeado por um Presidente condenado, vai defender o quê?", questionou.

O chefe de Estado brasileiro está a ser alvo de uma investigação pelo Supremo Tribunal Federal por difusão de notícias falsas para tentar retirar a legitimidade às instituições. Se for condenado, ele tornar-se-ia inelegível. 

 

Correspondência Brasil 07/09/2021

Por seu turno, existem também várias manifestações contra os ideais defendidos pelo actual Presidente do país, no dia em que o Brasil comemora o 199° aniversário da independência.

Lula da Silva critica conduta de Jair Bolsonaro

Lula da Silva, do Partido dos trabalhadores, ex presidente brasileiro, numa mensagem nas redes sociais, alega que a convocatória de Bolsonaro é um apelo à confrontação.

"Especialmente neste 7 de Setembro num ano tão difícil, era de se esperar um gesto assim de quem está a governar o país. Ele deve uma palavra de solidariedade às famílias vítimas da pandemia e viesse anunciar um plano para garantir a vacina para todos, mas em vez de anunciar soluções para o país, o que ele faz neste dia é chamar as pessoas para confrontação", começou por dizer.

Na sua ótica, Jair Bolsonaro está a "convocar actos contra os poderes da república, contra a democracia que ele nunca respeitou, em vez de somar. Ele estimula a divisão, o ódio e a violência. Definitivamente, não é isso que o Brasil espera de um presidente".

Oiça aqui o discurso do ex-chefe de Estado brasileiro:

 

Lula da Silva discurso 07/09/2021

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI