Acesso ao principal conteúdo
CABO VERDE

Jornada de greve em Cabo Verde

Agente do Grupo de Operações Tácticas (GOT) da Polícia Judiciária cabo-verdiana
Agente do Grupo de Operações Tácticas (GOT) da Polícia Judiciária cabo-verdiana pj.gov.cv
Texto por: RFI
3 min

A Polícia Judiciária e a os trabalhadores do Laboratório de Engenharia Civil entraram esta quinta-feira em greve. A Associação Sindical dos Trabalhadores dos Registos, Notariado, Identificação Civil e Criminal de Cabo Verde (ASTRANIC) deu pré-aviso de greve.

Publicidade

Os profissionais da Polícia Judiciária começaram a acção grevista por “incumprimento dos acordos, como a aprovação do Estatuto, actualização da grelha salarial e quadro de transição”.

Os funcionários da PJ ameaçam com a demissão em bloco caso o Governo não avance com a aprovação do novo estatuto da classe, a principal reivindicação da greve iniciada na manhã desta quinta-feira e que termina no próximo sábado. Segundo a Associação Sindical dos Funcionários da Polícia Judiciária (ASFIC), a adesão à greve rondou esta quinta-feira os 90%.

Também, arrancou hoje e até amanhã, na Cidade da Praia, a greve dos Trabalhadores do Laboratório de Engenharia Civil. Em causa está “o não cumprimento por parte da administração do Laboratório dos prazos acordados para a implementação do plano de carreiras e salários na empresa". De acordo com o sindicato da Indústria, Agricultura, Comércio e Serviços Afins (SIACSA), a adesão foi "satisfatória".

Por outro lado, entre dia 8 e 10 de Julho, os trabalhadores dos Registos, Notariado e Identificação Civil e Criminal de Cabo Verde partem para uma greve de 48 horas. Segundo a Associação Sindical dos Funcionários dos Registos, a paralisação somente será efectivada se, até à data da greve, o Ministério da Justiça não se disponibilizar para responder às reivindicações apresentadas.

Mais pormenores com o nosso correspondente em Cabo Verde, Odair Santos.

Correspondência Cabo Verde - Odair Santos

Ainda pelo mundo laboral cabo-verdiano, o Parlamento aprovou ontem, apenas com votação favorável do partido no poder (PAICV), a proposta de Lei que autoriza o Governo a proceder à revisão do Código Laboral. Sem consensos, o MpD absteve-se e a UCID votou contra.

O maior partido da oposição acusa o Governo de ir ao Parlamento “passar uma lei quase que sorrateiramente e sem que as pessoas entendessem o que está a passar”. O Governo, com o apoio do PAICV, defende que com a presente proposta de revisão estar-se-ía a permitir a melhoria da competitividade empresarial, o aumento da produtividade e a melhoria da empregabilidade dos cabo-verdianos, sobretudo da camada mais jovem à procura do primeiro emprego.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.