Moçambique

Moçambique: governo acusa Renamo de emboscadas

Presidente moçambicano Filipe Nyusi (à esuqerda) com o líder da Renamo Afonso Dhlakama
Presidente moçambicano Filipe Nyusi (à esuqerda) com o líder da Renamo Afonso Dhlakama

O Presidente Filipe Nyusi anunciou que esta segunda-feira, vai convidar o líder da Renamo para um novo encontro, para a busca da paz efectiva em Moçambique, enquanto o governo acusa homens armados supostamente da Renamo, de terem perpetrado ontem emboscadas contra a polícia na província de Tete.

Publicidade

De recordar que esta quinta-feira (20/08) no encontro com antigos guerrilheiros e combatentes da Renamo, o seu líder Afonso Dhlakama afirmou não estar interessado em novos encontros com o Presidente Filipe Nyusi, pois segundo ele a Frelimo "mentiu" nos dois acordos de paz de 1992 e de 2014.

Entretanto e quase 48 horas depois da ala armada da Renamo ter anunciado a criação de um quartel general na província da Zambézia, com forças autónomas para ajudar o principal partido da oposição moçambicana a governar nas seis províncias onde reivindica ter ganho as eleições gerais de 15 de Outubro de 2014, novos confrontos armados voltam a preocupar as populações na província de Tete, no centro do país.

O governo acusa os guerrilheiros da Renamo terem montado ontem de manhã (22/08) barricadas ao longo da via em Monjo, no distrito de Moatize, tendo como alvo viaturas da patrulha policial, o que resultou numa troca de tiros entre as partes, sem no entanto registo de mortes.

A estas acusações, a Renamo, principal partido da oposição em Mocambique ainda não reagiu, por sua vez as populações voltam a procurar refúgio no vizinho Malawi temendo dias piores.

Orfeu Lisboa, correspondente em Maputo

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI