Cabo Verde

Cabo Verde : Frescomar despede 301 trabalhadores

Frescomar
Frescomar DR

A Indústria de conservas de pescado, Frescomar, entregou carta de despedimento a 301 trabalhadores, justificando com a falta de aprovação da nova derrogação da União Europeia, alegando que a não aprovação inviabiliza a exportação de conversas de Cabo Verde para a zona euro, devido ao acréscimo em 25 por cento do valor das exportações.

Publicidade

Miguel Pinto, sócio da Frescomar disse que a conserveira não pode produzir se não tem a quem vender, sendo essa a razão dos despedimentos.
 

O sindicato que representa os trabalhadores considera a justificativa da Frescomar uma “falsa questão” porque “nada mudou” em relação aos procedimentos de exportação para a União Europeia. Segundo o responsável do sindicato, Virtolino Castro, a administração da Frescomar está a utilizar os trabalhadores para pressionar o Governo, exigindo diminuição de algumas taxas.

A Direcção-geral do Trabalho adianta que o despedimento dos 301 trabalhadores na Frescomar é ilegal, e a decisão deveria ser comunicada com uma antecedência de cinco dias, caso houvesse acordo entre a entidade patronal e o representante dos trabalhadores, e de 15 dias, nos casos que não há acordo.

A Indústria de conservas de pescado, Frescomar - uma sociedade anónima cabo-verdiano - espanhola - é a maior exportadora do país e emprega mais de mil trabalhadores.

Oiça aqui as explicações de Odair Santos, o correspondente da RFI em Cabo Verde, e a sua entrevista de Miguel Pinto, sócio da Frescomar.  

   

CORRESPONDÊNCIA DE ODAIR SANTOS

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI