Cabo Verde

Cabo Verde: Primeiro-ministro apela ao não açambarcamento de produtos

Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde, atento ao açambarcamento de produtos.
Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde, atento ao açambarcamento de produtos. RFI/NeidyRibeiro

O chefe do governo cabo-verdiano garante que o arquipélago dispõe de `stocks` de segurança de produtos alimentares e que o país vai continuar a ser abastecido através do comércio internacional, apesar da proibição de entrada devido à pandemia de Covid-19.

Publicidade

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva apela ao não açambarcamento de produtos.

Apesar do apelo do primeiro-ministro, nesta quinta-feira, é grande a movimentação de cidadãos nos supermercados e lojas de venda a grosso a comprar produtos alimentares.

 O governo anunciou que a Inspecção Geral das Actividades Económicas vai reforçar a fiscalização para evitar o açambarcamento.

Em comunicado da IGAE afirma que “não são apenas os operadores económicos que estão sujeitos a medidas punitivas em caso de açambarcamento, mas também os consumidores privados podem ser punidos com pena de prisão de até 1 (um) ano ou com pena de multa de 60 (sessenta) a 120 (cento e vinte) dias se forem detectados a cometer este crime”.

Confira aqui a reportagem do nosso correspondente em Cabo Verde:

Correspondência de Odaír Santos

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI