Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

Cabo Verde encara uso alargado de máscaras e vai ter 50 mil testes em breve

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, durante uma declaração ao país no passado 26 de Março de 2020.
O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, durante uma declaração ao país no passado 26 de Março de 2020. © LUSA/ Fernando de Pina
Texto por: Liliana Henriques
6 min

As autoridades sanitárias de Cabo Verde anunciaram hoje o registo de 6 novos casos de coronavírus na ilha de Santiago, o que eleva a 88 o número total de casos positivos de covid-19 no arquipélago. O país que actualmente está a cumprir o seu segundo período de Estado de Emergência sanitária está a antecipar as medidas a serem implementadas quando se retomar progressivamente a actividade, medidas que foram evocadas hoje pelo chefe do governo cabo-verdiano.

Publicidade

Numa declaração pública hoje na cidade da Praia, o Primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva anunciou a disponibilização para breve de 50 mil testes e evocou algumas das medidas para o pós-Estado de Emergência a serem discutidas na próxima semana no parlamento, designadamente o uso alargado de máscaras de protecção.“Enquanto a situação epidemiológica das ilhas recomendar, passará a ser obrigatório o uso de máscaras faciais em espaços interiores fechados de atendimento ao público ou que impliquem o contacto com o público, quer por parte do trabalhador, quer por parte de utentes ou clientes” anunciou Ulisses Correia e Silva antes de indicar igualmente que o uso de máscaras de protecção passa a ser recomendado “a todos os cidadãos, particularmente em situações de aglomeração de pessoas. Pessoas mais vulneráveis, nomeadamente com mais de 65 anos de idade, com doenças crónicas e em estado de imunossupressão, devem usar máscaras cirúrgicas sempre que saírem de casa”.

Noutra vertente, o Primeiro-ministro referiu igualmente que em breve vão estar disponíveis 50 mil testes.“A realização de testes rápidos vai ser alargada. Cerca de 50 mil testes estarão disponíveis nas próximas semanas”, indicou Ulisses Correia e Silva, sem todavia especificar junto de que entidade os testes foram adquiridos, sabendo-se por parte do director nacional de Saúde, Artur Correia, que o alargamento do recurso aos testes vai ultrapassar o âmbito dos casos suspeitos, para também ser aplicado a outros grupos, em função dos limites das suas disponibilidades. De acordo com Artur Correia, esta metodologia já está aliás a ser aplicada na ilha da Boa Vista, onde foram identificados 54 dos 88 casos. "Vamos identificar outros bairros vulneráveis para implementar a medida de forma progressiva”, indicou o responsável explicando que o intuito é “permitir que as medidas de saúde pública sejam tomadas em consequência” e “agir proactivamente” para tentar “mitigar a disseminação do vírus na comunidade”.

De recordar que o arquipélago contabiliza actualmente 88 casos positivos de coronavírus, 54 dos quais na ilha da Boa Vista, 33 na ilha de Santiago e um caso em São Vicente. Há praticamente uma semana que o país cumpre o segundo período do Estado de Emergência, uma medida excepcional cujo termo chega no Domingo para as ilhas onde não se registam casos de coronavírus, sendo que ainda fica patente até ao dia 2 de Maio nas ilhas onde se registaram casos positivos. Para fazer frente às consequências económicas da gestão desta crise, Cabo Verde pediu apoio ao FMI, esta instituição tendo aprovado nesta quinta-feira um financiamento de cerca de 30 milhões de euros, no âmbito do seu programa de crédito rápido, para reforçar o sector da saúde.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.