Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde/Venezuela/EUA

Cabo Verde: caso Alex Saab é "político" segundo a sua defesa

Rutsel Silvestre Jacinto Martha, advogado mandatado pela presidência venezuelana para a defesa de Alex Saab em Cabo Verde.
Rutsel Silvestre Jacinto Martha, advogado mandatado pela presidência venezuelana para a defesa de Alex Saab em Cabo Verde. © rfi/Odair Santos
Texto por: RFI | Odair Santos
5 min

A defesa do empresário colombiano Alex Saab entregou, dentro do prazo legal, no Tribunal da Relação de Barlavento a contestação ao pedido de extradição para os Estados Unidos do alegado testa de ferro em negócios de corrupção do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, detido a 12 de Junho na ilha do Sal. 

Publicidade

De acordo com um dos advogados do empresário colombiano, Rutsel Silvestre Jacinto Martha, o pedido foi entregue na tarde de quinta-feira (16/07) e agora aguarda a marcação da audiência pelo tribunal.

 "Entregámos o recurso da parte do senhor Alex Saab no que diz respeito ao pedido de extradição dos Estados Unidos. Agora temos que esperar a argumentação da parte adversa e naturalmente que o tribunal nos indique uma data para o efeito. Estamos, pois, à espera da posição do governo e também do tribunal, para se saber quando vai ocorrer a audiência."

O advogado Rutsel Silvestre Jacinto Martha, que foi contratado pelo governo venezuelano para defender Alex Saab, disse na entrevista dada à televisão pública cabo-verdiana, que será muito difícil Alex Saab ser extraditado de Cabo Verde para os Estados Unidos, alegando que o caso não tem argumentos jurídicos.

 "Por dois motivos, parece-me muito difícil que esta extradição seja aprovada, o primeiro motivo é pelo facto de se tratar de um emissário de um governo e o direito internacional proíbe a captura e detenção de um enviado de um governo. Este é o primeiro motivo.

O segundo motivo, por carecer de fundamentação. Trata-se de um caso político onde os Estados Unidos estão a utilizar os sistemas legal e pena,l para derrubar o governo do presidente Maduro da Venezuela.

E tal não é objectivo do direito; se há uma querela política entre a Venezuela e os Estados Unidos, há que a resolver politicamente.

Não se deve é utilizar o direito, para forçar pessoas ou detê-las, unicamente como forma de desestabilizar ou fragilizar o governo de outro país. Isso não se faz."

Nas últimas horas circula na imprensa nacional que Alex Saab estará em negociações com os Estados Unidos da América, onde já terá fornecido informações importantes, para avançar com um acordo como testemunha protegida

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.