Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde/Extradição Alex Saab

Cabo Verde: Tribunal decide extraditar Alex Saab para os Estados Unidos

Foto-montagem de Nicolás Maduro, Presidente da Venezula, e do empresário colombiano Alex Saab, detido a 12 de Junho na ikha do Sal em Cabo Verde, em cumprimento de um mandado de cptura internacional emitido pelos Estados Unidos.
Foto-montagem de Nicolás Maduro, Presidente da Venezula, e do empresário colombiano Alex Saab, detido a 12 de Junho na ikha do Sal em Cabo Verde, em cumprimento de um mandado de cptura internacional emitido pelos Estados Unidos. © https://www.entornointeligente.com/
Texto por: Odair Santos
4 min

O Tribunal de Relação de Barlavento, decidiu extraditar para os Estados Unidos o empresário colombiano Alex Saab, alegado testa-de-ferro em negócios de corrupção do Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, a defesa vai recorrer da decisão.

Publicidade

O Tribunal da Relação de Barlavento decidiu esta terça-feira, 4 de Agosto, a extradição do empresário colombiano, Alex Saab Naín Moran, para os Estados Unidos, onde será julgado por sete crimes de lavagem de instrumentos monetários e um de conspiração para cometer lavagem de dinheiro.

O  antigo embaixador cabo-verdiano nas Nações Unidas e noutros países, Fernando Wahnon afirma que é natural que o regime do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, possa não ficar satisfeito, mas explica que Cabo Verde agiu como se deve esperar de um país, que respeita o direito e as normas internacionais.

João do Rosário um dos advogados de defesa do alegado testa-de-ferro em negócios de corrupção do Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse à rádio pública, que não concorda com a decisão e  vai recorrer junto do Supremo Tribunal de Justiça

O acordão ordena  extradição do cidadão Alex Saab Naín Moran para os Estados Unidos da América (…) obviamente que merece a nossa discordância e nós vamos em sede própria, que é o recurso, atacar esta decisão” disse João do Rosário.

A defesa de Alex Saab, alega que o Tribunal da Relação de Barlavento decidiu de forma arbitrária, ao executar a entrega “ao agente perseguidor por razões políticas”, em referência aos Estados Unidos.

O principal argumento da defesa de Alex Saab, encabeçada pelo escritório de advocacia do ex-juiz espanhol Baltasar Garzón é que o empresário agia como enviado especial do Estado venezuelano, por isso o direito internacional o protege.

Os advogados de Alex Saab, detido na ilha do Sal a 12 de Junho, prometem continuar a lutar para que a extradição de Alex Saab não aconteça e têm 10 dias para recorrer ao Tribunal Superior.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.