Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

Governo prorroga estado de calamidade em Santiago e Sal por mais 21 dias

Ribeira das Pratas e Tarrafal, Ilha de Santiago.
Ribeira das Pratas e Tarrafal, Ilha de Santiago. RFI/Odair Santos
Texto por: Odair Santos
3 min

O Governo de Cabo Verde decidiu prorrogar o Estado de calamidade por mais 21 dias em Santiago e Sal, por serem as ilhas com mais casos activos e com transmissão local da covid-19. As novas medidas restritivas já estão a valer.

Publicidade

Com o prolongamento do Estado de calamidade nas ilhas de Santiago e Sal, foram aprovadas em conselho de ministros várias medidas suplementares  e que entraram em vigor desde às 00h00 deste sábado. Uma das medidas é o uso obrigatório de máscaras na via pública, como explica, o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha.

“O uso de máscaras faciais passa a ser obrigatório para todas as pessoas que circulem ou permaneçam em espaços e locais públicos, abertos ou fechados, incluindo a via pública, independentemente do tipo de actividade que estejam a realizar e determina sanções efectivas mormente quanto ao incumprimento em determinados sectores de actividades vulneráveis a propagação do vírus, como os transportes e o comércio”, avançou o governante.

Ainda, como forma de combater a propagação do novo coronavírus ficam encerradas algumas instalações e proibidas as actividades desportivas, recreativas, de lazer e diversão.

Ficam proibidos os ginásios, academias de artes marciais e de ginástica e a actividade balnear nas ilhas de Santiago e do Sal.

Os bares e locais de consumo de bebidas alcoólicas ficam encerrados. Os restaurantes funcionam agora até às 22 horas e os estabelecimentos de comércio, mercados e mercearias passam a encerrar às 19 horas, a excepção das padarias e das farmácias.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.