Cabo Verde

Formação das listas concorrentes com vista às legislativas de 18 de Abril em Cabo Verde

Os partidos cabo-verdianos entraram na fase de preparação e apresentação das suas respectivas listas.
Os partidos cabo-verdianos entraram na fase de preparação e apresentação das suas respectivas listas. © Facebook

Os partidos políticos ou as coligações têm até o dia 9 deste mês para apresentar junto do Tribunal Constitucional as suas candidaturas às eleições legislativas previstas para 18 de Abril. 

Publicidade

Até ao momento, somente o MPD, partido que governa o país desde 2016, já divulgou publicamente as listas com os nomes dos concorrentes. Tendo em conta a lei da paridade, o partido no poder apresenta cinco mulheres a encabeçar as listas nos círculos eleitorais do país e na diáspora, marcada por renovação, como explica a secretária-geral do MPD, Filomena Delgado.

“Temos o caso dos concelhos onde há 100% de renovação, caso do círculo eleitoral da Brava e Boa Vista, Santiago Norte onde ocorreu 21 saídas e Santiago Sul, com 25 saídas”, disse Filomena Delgado para avançar que as listas cumprem a percentagem da lei de paridade. São Nicolau, Brava e África têm 60% de mulheres na lista; Santo Antão, Fogo e Sal 50% de mulheres cada; Boa Vista, Maio, Europa e América 40%; Santiago Sul 42% e Santiago Norte 43%.

Por sua vez, o PAICV deve ao longo desta semana divulgar todas as listas concorrentes, mas o maior partido da oposição já avançou que vai ter quatro mulheres como cabeças de lista. Contudo, a formação das listas do PAICV para às eleições legislativas tem sido muito debatida na imprensa nacional com algumas das comissões políticas regionais do partido a questionar a imposição de nomes pela comissão política nacional e a presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, a excluir das listas os críticos da sua liderança.

Os pequenos partidos enfrentam problemas em formar listas para concorrer em todos os círculos eleitorais.

A UCID, terceira força política no parlamento que já anunciou que vai concorrer em todos os círculos eleitorais, deve apresentar apenas uma mulher como cabeça de lista e nalguns círculos associa-se a grupos independentes.

O músico Romeu di Lurdes, que foi uma revelação como independente nas autárquicas de Outubro do ano passado, já anunciou que vai encabeçar a lista do PTS para Santiago Sul, mas a partir da diáspora, o presidente do partido já veio dizer que não reconhece esta candidatura e nem deu autorização formal ou informal para tal anúncio.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI