Portugal/ Cabo Verde

Marcelo Rebelo de Sousa: Portugal e Cabo Verde estão "cada vez mais juntos"

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, conversa com o Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, durante uma visita oficial a Cabo Verde, Praia, Cabo Verde, 17 de Maio de 2021.
O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, conversa com o Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, durante uma visita oficial a Cabo Verde, Praia, Cabo Verde, 17 de Maio de 2021. LUSA - FERNANDO DE PINA

Em declarações à sua chegada a Cabo Verde o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, abordou as duas etapas da sua deslocação à África ocidental: a luta comum com Cabo Verde em relação à pandemia e as críticas de que é alvo por se deslocar à Guiné-Bissau, onde vêm a público denúncias de violações de direitos humanos.

Publicidade

O Presidente foi esta tarde recebido pelo seu homólogo Jorge Carlos Fonseca no Palácio Presidencial. Antes de deslocar para a Guiné-Bissau, onde também estará em visita oficial, o Presidente da República esteve reunido com o presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, e com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

Marcelo Rebelo de Sousa quis deixar uma mensagem a todos os cabo-verdianos: "Estamos cada vez mais juntos. Nós acompanhamos o que se passa aqui e sei que acompanharam aquilo que se passa em Portugal. Cada um tem passado por esta fase difícil, nós vivemos um período muito difícil em Janeiro e Fevereiro e fomos saindo depois, mas, ainda no centro da Europa, há países que estão em grande dificuldade. Felizmente, tem havido a preocupação de colaborarmos [Cabo-Verde e Portugal], chegaram duas equipas portuguesas, chegaram mais 24 mil vacinas e tudo o que pudermos fazer, faremos pelos nossos irmãos".

Marcelo Rebelo de Sousa afirma que Portugal e Cabo Verde estão mais próximos

Marcelo chega a Bissau ao final da tarde, onde ficará até amanhã. Mário Soares foi o último Presidente português a realizar uma visita oficial à Guiné-Bissau, em 1989.

No dia 14 de Maio, o Presidente português recebeu alguns manifestantes a quem Marcelo Rebelo de Sousa explicou o motivo da visita a Bissau; "nas relações entre Estados respeitamos a posição dos vários países. Temos a defesa, que é um principio fundamental do estado democrático e dos direitos humanos, mas desde a independência dos Estados de língua oficial portuguesa nós mantivemos relações diplomáticas permanentes com todos os Estados, independentemente do sistema de partido único ou não, do regime político, económico e social. Não exigimos que haja identidade de posições".

Marcelo Rebelo de Sousa reconheceu que "a missão da União Europeia, que acompanhou as últmas eleições na Guiné-Bissau, reconheceu as eleições". 

Presidente português defendeu visita à Guiné-Bissau

Há 33 anos que um chefe de Estado português não visitava oficialmente a Guiné-Bissau. Marcelo Rebelo de Sousa visita a capital guineense esta segunda e terça-feira a convite do Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló. A última visita oficial de um Presidente à Guiné-Bissau "foi há muito tempo, em 1979. Foi um longo período que era preciso colmatar. Não pude, infelizmente, no meu primeiro mandato visitar a Guiné-Bissau nem Timor-Leste. Estou agora a saldar a primeira divida e irei saldar a segunda também", garantiu o chefe de Estado português.

Marcelo Rebelo de Sousa visita Bissau

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI