Cabo Verde/França

Polícia abre inquérito para averiguar fuga de cidadão franco-caboverdiano

Aeroporto Cesária Évora, ilha de São Vicente.
Aeroporto Cesária Évora, ilha de São Vicente. © rfi

O cidadão Arlindo Teixeira, que estava em prisão domiciliária, desde 16 de Junho, fugiu para a França acompanhado do seu advogado, Amadeu Oliveira, deputado da UCID. A polícia nacional já anunciou a abertura de um inquérito para averiguar a fuga do cidadão franco-caboverdiano que, segundo o advogado, foi montado com a ajuda de um grupo de ex-militares fuzileiros navais.

Publicidade

O cidadão Arlindo Teixeira de nacionalidade cabo-verdiana e francesa que estava em prisão domiciliária desde o dia 16 de junho, fugiu para a França acompanhado do seu advogado, Amadeu Oliveira, que é também deputado da UCID.

A imprensa local relata que o caso aconteceu domingo, quando os dois viajaram num voo da Tap de São Vicente para Lisboa e seguiram para Paris de carro.

O caso tem suscitado muitas reações com várias perguntas pelo meio, algumas delas feitas pelo bastonário da Ordem dos Advogados. Hernâni Soares, em declarações à televisão pública cabo-verdiana, condenou a actuação do advogado e deputado da Nação.

“Qualquer pessoa que compactua com a fuga de uma pessoa que esteja em prisão domiciliária, ou preventiva, ou que esteja sob a alçada da justiça não pode merecer nunca o apoio da Ordem dos Advogados. Nós condenamos, veementemente, qualquer conduta que seja contra a ordem jurídica de Cabo Verde. Como é que alguém sai de uma casa que está em prisão domiciliária, consegue passar pelos serviços de estrangeiros e fronteiras e chegar ao estrangeiro. Portanto é de todo preocupante”, disse o bastonário da Ordem dos Advogados, Hernâni Soares

A polícia nacional já anunciou a abertura de inquérito para apurar como o cidadão Arlindo Teixeira, de nacionalidade cabo-verdiana e francesa que estava em prisão domiciliária, em São Vicente, fugiu do país.

O advogado e deputado da nação eleito na lista da UCID, Amadeu Oliveira, avançou a partir de Paris, à agência cabo-verdiana de notícias, que o esquema de fuga foi montado com a ajuda de um grupo de ex-militares fuzileiros navais. Num primeiro momento a fuga deveria ser via marítima, mas depois o plano foi alterado. Um caso que vai fazer correr muita tinta nos próximos dias.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI