Acesso ao principal conteúdo
Ciências/Charpak

Cientista criador do método Mão na Massa morre na França

Georges Charpak, prêmio Nobel de física faleceu em Paris aos 86 anos, 29 de setembro de 2010
Georges Charpak, prêmio Nobel de física faleceu em Paris aos 86 anos, 29 de setembro de 2010 AFP / MARTIN BUREAU
Texto por: RFI
3 min

Morreu nesta quarta-feira, na França, o polonês naturalizado francês, Georges Charpak, prêmio Nobel de Física em 1992 pela invenção e o desenvolvimento de um detector de partículas. Ele também é conhecido por ter criado um método revolucionário de ensino das ciências nas escolas. Chamado La Main dans la Pâte, o método é amplamento aplicado no Brasil, com o nome de Mão na Massa.

Publicidade

O físico Georges Charpak idealizou o projeto Mão na Massa para despertar nos alunos do ensino fundamental o interesse pela ciência. Quando o método foi criado na França, na década de 90, os alunos franceses tinham mais interesse pelas matérias literárias e os professores não dispunham de um método atraente para o ensino de ciências.

O Mão na Massa se inspirou num projeto desenvolvido na mesma época nos Estados Unidos, chamado Hands-On. O sucesso foi tão grande que hoje o Mão na Massa está presente em vários países como Brasil, onde foi implantado em 2001, Argentina, Colômbia, Venezuela, China, México, Canadá e Indonésia.

Em termos metodológicos, a proposta do projeto é que o ensino de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental tenha por base uma articulação entre a experimentação investigativa e o desenvolvimento da capacidade oral e escrita dos alunos. A abordagem em classe é feita por meio de atividades experimentais, para estimular, promover e organizar o conhecimento científico, tanto entre os alunos como também entre os professores.
 

Crianças

Georges Charpak trabalhou ativamente pela ciência e pelas crianças. Uma de suas últimas descobertas, há dois anos, quando ele já estava com 84 anos, foi um aparelho de radiologia capaz de emitir até 50 vezes menos raios-X, destinado a crianças com problemas de coluna que precisam se submeter com frequência a radiografias.

O físico também foi um incansável militante do desarmamento nuclear. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, lamentou a morte de Georges Charpak, dizendo que sua vida foi um exemplo de engajamento. "O mundo perdeu um grande humanista", afirmou Sarkozy.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.