Jogos Olímpicos

Muita música e efeitos especiais para abrir a competição nos Jogos Olímpicos

A tenista japonesa Naomi Osaka, após ter acendido a chama olímpica em Tóquio a 23 de Julho de 2021 no Estádio Olímpico.
A tenista japonesa Naomi Osaka, após ter acendido a chama olímpica em Tóquio a 23 de Julho de 2021 no Estádio Olímpico. Andrej ISAKOVIC AFP

A cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de verão decorreu em Tóquio num estádio sem espectadores devido à pandemia, mas onde não faltaram coreografias e músicas. Coube ao imperador declarar abertas as Olímpiadas, uma tenista japonesa acendeu a chama olímpica.

Publicidade

A cantora Angélique Kidjo do Benim entoava aqui o celebrérrimo "Imagine "de John Lennon, a representar África numa música cantada por um um grande expoente de cada um dos continentes do planeta.

A cerimónia, para além de múltiplas danças e coreografias a evocarem, nomeadamente, o país anfitrião, o Japão, contava com a presença do imperador.

Coube-lhe a ele, ao Imperador Naruhito, declarar abertos os Jogos, após um adiamento de um ano devido à pandemia.

No estádio a assistirem ao desfile dos atletas, incluindo de todos os países lusófonos, estavam apenas alguns privilegiados caso do presidente francês, Emmanuel Macron, a França que recebe as Olímpiadas em 2024, ou a primeira dama norte-americana Jill Biden.

Fogo de artíficio ou proezas tecnológicas incluindo um globo terrestre no céu da capital japonesa formado por drones vieram abrilhantar o arranque dos jogos, espaço agora para a competição que deve durar duas semanas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI