Jogos Olímpicos

Atletas lusófonos apostados nos Jogos Olímpicos de Tóquio

A cabo-verdiana Sandrine Billiet aqui em competição com a francesa Clarisse Agbegnenou a 27 de Julho de 2021.
A cabo-verdiana Sandrine Billiet aqui em competição com a francesa Clarisse Agbegnenou a 27 de Julho de 2021. AP - Vincent Thian

Nem todas os atletas da África lusófona entraram em competição nos Jogos Olímpicos de Tóquio. D'Jamila Tavares de São Tomé e Príncipe começa a competir em atletismo apenas na sexta-feira. Angolanos, cabo-verdianos, moçambicanos e guineenses já se ilustraram nas provas, num ambiente de rigorosas restrições sanitárias ligadas à pandemia de Covid-19.

Publicidade

Cabo Verde conta com a sua maior delegação olímpica de sempre.

 Seis atletas, neste momento, participam nos Jogos de Tóquio (velocista Jordin Andrade, os irmãos nadadores Troy Pina e Jayla Pina, o pugilista David Pina, a ginstasta Márcia Lopes e a judoca Sandrine Billiet). 

Esta última foi já eliminada pela francesa Clarisse Agbegnenou, campeã olímpica, tendo averbado, ainda assim, uma vitória perante a atleta do Uzbequistão Farangiz Khojieva.

Um desempenho que foi motivo de satisfação para Leonardo Cunha, chefe da missão olímpica cabo-verdiana, no Japão, que nos dá conta dos próximos passos dos aletas cabo-verdianos.

Jordin Andrade, que carregou a bandeira cabo-verdiana, nos 400 metros barreiras, começa a competir na sexta, tal como Troy Pina nos 50 metros crowl.

A sua irmã, Jayla Pina, ficou pelo caminho logo no domingo em em 100 metros bruços.

No dia seguinte estreia-se no boxe David Pina, finalmente a 6 de Agosto será a vez de Márcia Lopes estar em campo.

Leonardo Cunha, chefe da missão cabo-verdiana aos Jogos Olímpicos de Tóquio

 

Angola participa nos Jogos Olímpicos de Tóquio com 20 atletas e sem almejar medalhas. António Monteiro é o secretário-geral do comité olímipico angolano.

Ele detalhou-nos a composição da respectiva delegação,

São 14 de andebol (averbando duas derrotas em andebol feminino, com o Montenegro e com a Noruega), dois da vela (Paixão Afonso e Matias Montinho).

Estes não terminaram hoje a primeira corrida, tendo ficado na 18a posição na segunda.

São dois nadadores a marcar presença: Salvador Gordo que começa a competir nesta quinta-feira, e Catarina Sousa, que ficou em oitavo e último lugar nesta quarta-feira, na sua estreia, na série dos 100 metros livres.

Presente está também Bee Miguel Aveni em atletismo e uma atleta de judo (Diasonema Neidy, eliminada na segunda-feira pela geórgia Eteria Liparteliani).

António Monteiro afirma que, para esta edição das Olímpiadas, o que se visa é a obtenção de recordes nacionais, nas modalidades individuais, para um dia termos "outras expectativas", alegando que, por ora, tal não é equacionável, mas que a prazo poder-se-á "pensar de outra forma".

António Monteiro, secretário-geral do Comité olímpico de Angola

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI