Economia/Davos

Movimento "Ocupem o Fórum Mundial" constrói iglus em Davos

Vista noturna da cidade de Davos, na Suíça, em foto desta segunda-feira.
Vista noturna da cidade de Davos, na Suíça, em foto desta segunda-feira. REUTERS/Arnd Wiegmann

O movimento "Occupy WEF" (Ocupem o Fórum Econômico Mundial) começou a construir iglus na cidade suíça de Davos para protestar contra o encontro de empresários e líderes mundiais que acontece de 25 a 29 de janeiro. O presidente da Juventude Socialista Suíça, David Roth, explicou que "é importante se mobilizar contra essas elites autodesignadas".

Publicidade

Os militantes do movimento Ocupem o Fórum Econômico Mundial construíram um iglu no centro da badalada estação alpina e pretendem instalar outras cabanas de gelo nos próximos dias, para criar uma aglomeração de barracas semelhante ao que se viu em Wall Street, na City de Londres e em outras capitais europeias.

Questionado se a presença dos militantes poderia estragar o evento, o diretor do Fórum Adrian Monck disse que Davos era um "encontro aberto a todos". Já o presidente e fundador de Davos, Klaus Schwab, foi menos receptivo. "Estamos à procura de pessoas que façam contribuições interessantes. Mas se formos olhar os movimentos Occupy, quem eles representam realmente?", indagou o economista suíço.

Em outubro passado, no auge dos protestos contra os abusos do sistema financeiro, os "indignados suíços" ocuparam a praça Paradeplatz em Zurique, onde ficam as sedes dos bancos UBS e Crédit Suisse até serem desalojados pela polícia.

Rumo a um novo capitalismo

O 42° Fórum Econômico Mundial de Davos será inaugurado com um discurso da chanceler alemã, Angela Merkel. Entre os líderes esperados no evento estão os presidentes do México, Felipe Calderon, de Israel, Shimon Peres, o premiê britânico, David Cameron, o secretário do Tesouro americano, Timothy Geithner, a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, entre outros. A presidente brasileira, Dilma Rousseff, néao vai a Davos.

O 'papa' de Davos, Klaus Schwab, disse que a elite econômica mundial fracassou ao não tirar as lições da crise financeira de 2009. "O capitalismo, em sua forma atual, não tem mais lugar e é preciso transformar o mundo com urgência, começando por restabelecer uma forma de responsabilidade social", disse Schwab.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI